Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

A candidata à Presidência da Câmara Municipal da Praia da Vitória pela coligação PSD/CDS-PP, Vânia Ferreira, sublinhou esta quarta feira que “uma autarquia liderada pela nossa coligação vai prezar a ruralidade do concelho e a importância do seu setor agrícola”.

A social democrata falava após visitar vários empresários agrícolas praienses, “alguns deles com investimentos diferenciadores ao nível da produção de hortícolas e frutícolas, que demonstram a valia e a dedicação de quem trabalha a terra, na senda das tradições rurais do Ramo Grande”, referiu.

Em termos de medidas viradas para o setor agrícola nas dez freguesias e vila, a candidata garante “um esforço redobrado para a manutenção e limpeza dos caminhos de acesso às explorações, indispensáveis para o bom funcionamento e crescimento das mesmas”.

Vânia Ferreira destacou que, “no âmbito das boas relações com os serviços regionais competentes, e depois de apresentadas as nossas propostas, é dado assente que se poderão melhorar as condições dos postos de abastecimento de água à lavoura, uma reivindicação constante dos nossos empresários agrícolas”, lembrou.

Da mesma forma, “pretendemos ver aumentada a regularidade da recolha de resíduos agrícolas do concelho, que queremos tenha cada vez mais debeladas as preocupações ambientais, com as melhores soluções postas em prática de forma natural”.

A candidata disse ainda que, “muitas das queixas que temos ouvido são consequência da inação dos anteriores governos regionais, tantas delas por resolver porque também quem governou a Praia da Vitória nos últimos anos se deixou calar a vários níveis. Com a nossa gestão, a postura será diferente e os frutos dessa nova forma de agir rapidamente irão surgir”, assegurou.

Recorde-se que a lista candidata pelo PSD e CDS-PP à Câmara Municipal da Praia da Vitória, encabeçada por Vânia Ferreira, apresenta nos lugares seguintes Paula Sousa, Ricky Batista, Otília Martins, Marco Aurélio, Bruno Nogueira, Vitória Silva, Emanuel Areias, Nuno Silveira, Emiliana Toste, Sónia Ávila, Marco Meneses, Natividade Barcelos, Tiago Meneses, Manuel Humberto, Ana Catarina Borba, Fábio Ferreira, Cristina Silva, Daniel Reis, Lénia Meneses, Jacinta Ribeiro e Rui Espínola.

O Partido Socialista dos Açores lamentou, esta segunda-feira, que determinados partidos políticos, e em específico o Presidente do Governo Regional, recorram a todo o tipo de expediente, ainda que num claro atropelo da Lei, para uma verdadeira caça ao voto, destacando não se identificar com esta forma de fazer política.

Para João Bettencourt, Secretário Coordenador do PS/Faial, ficou demonstrado que “apesar de este governo se achar impune e inatingível nos seus atos, os meios não justificam os fins”, criticando, desta forma, o claro atropelo à Lei que se verificou ao mais alto nível governamental, violando a proibição legal de publicidade institucional, violando os princípios da imparcialidade e neutralidade a que estão obrigados todos os órgãos da administração pública, nomeadamente regional.

Em causa, conforme refere o Socialista, está a apresentação de uma queixa junto da Comissão Nacional de Eleições, contra o Governo Regional dos Açores, a propósito de uma publicação nas redes sociais relativa à apresentação do projeto da Segunda Fase da Variante à cidade da Horta.

De acordo com o Socialista, “houve aqui uma declarada iniciativa de campanha, com a apresentação de um esboço do que foi idealizado para a Segunda Fase da Variante à cidade da Horta, uma tentativa atabalhoada e populista de se fazer campanha eleitoral”.

Refere João Bettencourt, que esta apresentação do projeto não passa de uma mera intenção, porque até ao momento não foi materializada, não passando de um estudo que exige uma prévia alteração ao Plano de Urbanização, sendo certo que este é um procedimento moroso que não se compadece com os prazos que aparentemente foram publicitados.

Para o PS/Açores é ainda questionável a participação de membros do atual governo regional em ações de campanha pelo PSD, nomeadamente de secretários regionais, e com a sistemática utilização de meios públicos (viaturas oficiais).

A candidata à Presidência da Câmara Municipal da Praia da Vitória pela coligação PSD/CDS-PP, Vânia Ferreira, afirmou esta semana que quer desenvolver uma “ação social municipal responsável e concertada, com vista a um Concelho socialmente justo”.

Vânia Ferreira falava à margem de uma reunião com a delegação da Cáritas na Praia da Vitória, onde frisou que pretende implementar “um verdadeiro e eficaz Plano de Diagnóstico Social no concelho, com o intuito de promover de forma concertada uma parceria entre todas as entidades que estão envolvidas no processo de sinalização de casos vulneráveis e de risco, como Instituições Particulares de Solidariedade Social, as próprias Juntas de Freguesia, o ISSA (Instituto Segurança Social dos Açores), com o departamento de Ação Social da Câmara que, sendo valorizado e reorganizado nas suas múltiplas valências e funcionalidades, irá agir em complementaridade com estas instituições”.

“Só assim, em permanente articulação, conseguimos exponenciar os recursos e ferramentas ao nosso dispor, para efetivamente ajudarmos quem mais precisa”, explicou.

Para a candidata praiense “é de maior importância que não se dupliquem valências e apoios, mas que estes se complementem. Bem como, que a organização deste plano permita o acompanhamento dos casos sinalizados e apoiados”.

“A Câmara já dispõe de duas ferramentas muito importantes de âmbito social, como o Fundo de Emergência Social, que gostaria também de o ver descentralizado nas freguesias, para que a resposta seja cada vez mais célere, e um Regulamento de Apoio ao Arrendamento, que iremos manter, por ser uma medida que efetivamente apoia as famílias mais vulneráveis. Ao mesmo tempo, que iremos garantir que estas medidas são aplicadas de forma responsável, atendendo ao fim para o qual foram desenhadas”, garante.

Para Vânia Ferreira “é necessário rever e melhorar os apoios a todas as IPSS e Associações de cariz social sediadas na Praia da Vitória. Gostaríamos ainda de criar e atribuir um Selo de boas práticas, majorando nestes apoios, as instituições que desenvolvam projetos inovadores direcionados às crianças, jovens e idosos. Assim como, rever o modelo de ação nos centros de convívio de idosos”.

Já no que diz respeito à habitação, a candidata da coligação compromete-se “a garantir a manutenção regular de todo o parque habitacional social existente no Concelho. Ainda neste campo, e no que foi a responsabilidade social assumida pela autarquia, por exemplo no Bairro de Santa Rita, comprometemo-nos a dar continuidade ao processo em andamento de legalização e venda dos lotes daquele bairro e de todas as situações habitacionais ilegais ainda existentes na Praia da Vitória”, finalizou a candidata da coligação.

Outras medidas de cariz social integradas no manifesto eleitoral da candidatura de Vânia Ferreira, são o desenvolvimento de estratégias, em cooperação com o Governo Regional, de integração dos jovens NEET no mercado de trabalho; promoção de um concelho acessível à população com mobilidade reduzida, através do apoio/implementação de acessibilidades; e a criação de uma Loja Solidária na Praia da Vitória.

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante