Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

O lançamento do selo postal “Açores, Riqueza Minha” de Diana Gomes, e as sessões de cinema de “Pinóquio” e do filme de animação infantil “O Mundo Secreto dos Dragões” integram a agenda cultural praiense para o próximo sábado e domingo.
No sábado, 17 de abril, pelas 21h00, decorrerá a sessão de cinema de “Pinóquio” no Auditório do Ramo Grande.
Em “Pinóquio”, o espetador é apresentado à verdade sombria por detrás de um clássico que marcou gerações. O solitário marceneiro Gepeto tem o grande desejo de ser pai, e deseja que Pinóquio, o boneco de madeira que acabou de construir, ganhe vida. O seu pedido é atendido, mas a desobediência do jovem brinquedo faz com que ele se perca de casa e embarque em uma jornada repleta de mistérios e seres mágicos, que o levará a conhecer de fato os perigos do mundo.
No dia seguinte, domingo, pelas 15h00, haverá a exibição do filme “O Mundo Secreto dos Dragões”, direcionado às crianças.
Drago, um jovem dragão prateado, está cansado de viver escondido e quer mostrar à geração mais velha que é um verdadeiro dragão. Agora que os humanos estão a ameaçar destruir o último refúgio da sua espécie, Drago parte secretamente numa aventura, com a sua fiel amiga Sorrel, em busca da Orla do Céu, um local mítico e um misterioso santuário secreto para Dragões, onde poderão viver em paz sem serem ameaçados pela espécie humana. Durante esta aventura, Drago e Sorrel encontram Ben, um órfão que vive nas ruas e que afirma ser um Cavaleiro de Dragões. Enquanto Ben e Drago fazem amizade rapidamente, Sorrel desconfia cada vez mais do novo elemento do grupo e tenta livrar-se dele a cada oportunidade. Porém, o improvável trio terá de aprender a trabalhar em conjunto, porque há alguém que os persegue: o impiedoso Espigão Dourado, um terrível monstro devorador de dragões, criado por um alquimista, cujo único propósito é o de perseguir e destruir todos os dragões da Terra.
Os bilhetes para as sessões de cinema do Auditório do Ramo Grande têm um custo de três euros e meio, e estão disponíveis para aquisição na bilheteira da Academia de Juventude e das Artes da Ilha Terceira, que se encontra a funcionar de segunda a sexta-feira, das 09h00 às 17h00, ou ligando para o 295 545 700. Os bilhetes podem ser adquiridos também online, através da Ticketline. No próprio dia, a bilheteira do Auditório do Ramo Grande abre duas horas antes do início do evento.
Aquando da realização dos espetáculos e sessões de cinema, mantém-se a obrigação do cumprimento de todas as normas de proteção e salvaguarda da saúde pública, havendo uma redução do público presente na sala (para um terço da respetiva lotação, ou seja, um máximo de 140 espetadores), garantindo-se as regras de distanciamento social, para além do uso obrigatório de máscara e higienização frequente das mãos.
Ainda no domingo, a partir das 15h00, e no preciso dia em que se comemora o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, Diana Gomes lançará um selo postal da sua autoria, intitulado “Açores, Riqueza Minha”, na Academia de Juventude e das Artes da Ilha Terceira. Esta apresentação conta com um momento musical, a cargo de Rafael Melo (Estudante de Piano no Conservatório da Escola Tomás de Borba), e com a presença de Assunção Melo (historiadora de arte), de António Armindo Couto (Presidente da Direção do Núcleo Filatélico de Angra do Heroísmo), e de um representante dos CTT - Correios de Portugal.
Irá haver também a inauguração de uma exposição de bilhetes postais, também de Diana Gomes, com ilustrações relacionadas com as nove ilhas dos Açores, estando patente até ao dia 31 de maio.
No final de abril
A oferta sociocultural preparada pelo Município da Praia da Vitória também engloba a vertente musical, com a realização do concerto “Abril”, no dia 24, às 21h30, também no Auditório do Ramo Grande.
Este concerto, que surge com o intuito de assinalar a Revolução de 25 de abril através da música, conta com a participação de um elenco residente na Praia da Vitória, com as vozes de Tozé Ferreira, Maria Bettencourt, Lúcia Moniz, António Bulcão, Samuel, João Pedro Santos, e Luís Gil Bettencourt. No piano, estará André Gomes, no baixo, Fábio Gomes e nas percussões, Zé Arruda.
Os bilhetes para este concerto têm um custo de cinco euros, e podem ser adquiridos nos lugares habituais - bilheteira da Academia de Juventude e das Artes da Ilha Terceira, Ticketline e Auditório do Ramo Grande nas duas horas antes que antecedem o espetáculo.
No feriado de 25 de abril, salienta-se a sessão de cinema infantil, desta feita, com “O Segredo das Bolachas”, agendado para as 15h00.

O livro "Paladares e Sabores com História. Receitas culinárias das antigas civilizações e da época medieval" (edição bilingue), de Carla Devesa Rodrigues e José Luís Neto, editado pelo Instituto Açoriano de Cultura, é apresentado no dia 15 de abril, pelas 18h30, na Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça (Faial).
Com esta obra pretende-se dar a conhecer as estreitas relações existentes, ao longo do tempo, na cultura mediterrânica entre a sociabilização e a mesa. O livro segue o tradicional discurso civilizacional europeu e leva a cabo um percurso geográfico e temporal, com uma dimensão pedagógica e lúdica. Estamos, pois, em presença de um livro de gastronomia, que é mais do que isso, porquanto efetua a defesa intransigente da importância da história e do património no desenvolvimento da identidade e na consciência da cidadania e assenta em princípios e valores que se consideram fundamentais na sociedade contemporânea. Apelando aos sentidos e às sensações, transversais aos tempos e civilizações, propõe-se aqui uma miscelânea de complexa estratigrafia, que modelou a cultura europeia através da degustação e das suas múltiplas influências.
A comida, os temperos e os odores que a confeção dos alimentos libertam são, como muito bem assinalou Fernand Braudel, uma marca distintiva dos povos e revelam dinâmicas populacionais que ajudam a perceber a nossa História.
A obra em apreço, Paladares e Sabores com História, vem mostrar isso mesmo, elucidando-nos quanto ao modo como se cozinham determinados produtos, como se confecionam determinados pratos. Fá-lo, num périplo pelo globo ou por diferentes civilizações, périplo esse acompanhado por breves notas que explicitam usos e costumes, bem como crenças e desejos, e que nos dão a oportunidade de viajar pelo tempo e pelos lugares.

Ficha técnica
Autores: Carla Devesa Rodrigues, José Luís Neto
Bilingue: Português/Inglês
Tradução: Pedro Parreira
Edição e Revisão: Instituto Açoriano de Cultura
Capa: Angelina Caixeiro

Carla Devesa Rodrigues é técnica do Museu de Angra do Heroísmo. É pós-graduada em história e arqueologia medievais pela FCSH – Universidade Nova de Lisboa. É autora de dezenas de artigos nas áreas da história, arqueologia e museologia, nomeadamente na área da história da alimentação.
José Luís Neto é diretor do Museu da Horta. É doutorado em arqueologia pela Universidad de Salamanca. É autor de uma dezena de livros da especialidade e conta com cerca de quatro centenas de artigos publicados nas áreas da história, arqueologia, património e museologia

Ontem, dia 31 de março, foi apresentado o livro Angra em Revolução: o levantamento liberal de 2 de abril de 1821 da autoria do historiador terceirense Francisco Miguel Nogueira.
A obra patrocinada pela Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, foi lançada ontem no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com uma lotação limitada. A apresentação do novo livro marca o início de comemoração dos 200 anos do Levantamento Liberal na Ilha. Esta celebração vai continuar com um ciclo de conferências organizadas pelo Município Angrense, em parceria com o Instituto Histórico da Ilha Terceira.
Segundo palavras do próprio autor: “a poucos dias do 2º centenário deste episódio, este livro buscou contar não só este evento, mas toda a conjuntura da Revolução Liberal de agosto de 1820, no Porto, que abriu um novo capítulo na História de Portugal, em que este livro se insere. Além de contar todo o ambiente vivido nesta cidade e nesta ilha antes, durante e logo após o levantamento liberal.”
Nas palavras de Francisco Miguel Nogueira, “em um tempo em que tudo é fugaz, manter viva a Memória Coletiva de todos nós é essencial. Conhecer e divulgar a nossa História, preservar e dinamizar o nosso Património e promover o nosso conhecimento do meio onde vivemos não é um capricho, é uma necessidade para a Cultura de todos nós enquanto terceirense e enquanto açorianos.” Mais, o historiador alerta que “este livro procura colmatar um certo desconhecimento sobre este episódio, lembrando a todos nós a importância de se conhecer o passado, pois saber mais do que fizemos, é saber melhor quem somos”.
O livro “embora seja sobre o levantamento liberal, acaba por focar-se em dois nomes que não se podem dissociar destes acontecimentos e que a sua mentalidade e sua forma de pensar e agir serão determinantes no desenvolvimento da revolta e suas consequências. Estamos a falar do 7º Capitão-General dos Açores Francisco de Araújo e Azevedo e do 8º Capitão-General dos Açores Francisco Garção Stockler.”
O livro Angra em Revolução: O Levantamento Liberal de 2 de abril de 1821 está, a partir de hoje à venda, na Loja do Município, na Câmara Municipal de Angra do Heroísmo. Para os interessados de fora da Ilha, basta enviarem e-mail com os seus dados para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante