Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

A Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural informa que o “Açores Bio 21 – 1º Fórum de AgroPecuária Biológica dos Açores” regressa no mês de setembro, com ações nas ilhas de Santa Maria, Flores e Corvo, visando “promover, capacitar, diferenciar e qualificar o sector agropecuário Açoriano”.

“O programa pretende difundir os valores do equilíbrio, do bem-estar, da saúde, do autoabastecimento alimentar e do regresso à terra, com respeito por todas as gerações passadas, presentes e futuras”, defende António Ventura, Secretário Regional com a tutela da Agricultura.

Para o governante, a realização deste fórum visa essencialmente promover uma “discussão alargada sobre agricultura e pecuária biológicas, juntando produtores, técnicos, investigadores e consumidores, associações e cooperativas, indústria, distribuição, comércio e serviços públicos e privados”.

Nesse sentido, pretende-se criar uma “rede regional de cooperação, conhecimento e capacitação, assim como divulgar a investigação e fomentar a inovação, quer na agricultura biológica, quer na transformação e valorização dos respetivos produtos”, avança o governante.

Outras das diretrizes desta iniciativa, segundo o Secretário Regional, são “sensibilizar, informar, formar e capacitar para o modo de produção biológico”, mas também “apresentar e promover os produtores e produtos biológicos dos Açores”.

No dia 4 de setembro, pelas 11h00, em Santa Maria, irá realizar-se o ‘Showccoking’ “Experimenta, é Bio” – 3º edição, dinamizado por Miguel Bezerra, Patrícia Cheio e Sara Loureiro.

Já a 18 de setembro, na ilha das Flores, também pelas 11h00, irá concretizar-se a 4ª edição do ‘Showcooking’ “Experimenta, é Bio”, também promovido por Miguel Bezerra e Patrícia Cheio, com a participação especial do Chef Raúl Sousa.

Desta vez na ilha do Corvo, também a 18 de setembro, pelas 20h00, irá realizar-se o Seminário: “Horticultura Biológica – Um Caminho para a autonomia alimentar”, em regime misto, presencial e ‘online’, que contará com as intervenções de Isabel Mourão, Graça Saraiva e Avelino Ormonde.

No dia seguinte, 19 de setembro, também na ilha do Corvo, pelas 11h00, irá realizar-se o ‘Showcooking’ “Experimenta, é Bio” – 5º edição, dinamizado por Miguel Bezerra e Patrícia Cheio, com a participação especial do ‘chef’ Raúl Sousa, e pelas 15h00 haverá o ‘workshop’ “Um jardim para cozinhar”, ministrado por Graça Saraiva.

Ao terminar o mês de setembro, a ilha das Flores receberá a segunda edição do ‘workshop’ “Iniciação à Horticultura Biológica”, com Avelino Ormonde, entre os dias 20 e 25 de setembro.

Assim, os encontros têm por objetivo final incentivar a “autonomia alimentar dos Açores, a economia circular, a bioeconomia, os circuitos curtos de comercialização, bem como promover a qualidade do ambiente, de vida, a saúde, a prevenção e o combate à doença e o equilíbrio social, contribuindo para a mitigação dos grandes desafios globais como as alterações climáticas e as crises sanitárias”, destaca ainda António Ventura.

No âmbito do programa da Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural “Naturalidade da Terra”, o Açores Bio21, o primeiro fórum da Agropecuária Biológica já decorre desde junho deste ano, tendo desenvolvido diversas ações nas ilhas das Flores, da Graciosa, da Terceira, do Pico e do Faial.

De acrescentar que este fórum resulta de uma parceria entre a Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural e o movimento associativo do sector representado pela Federação Agrícola dos Açores, a Trybio – Associação de Produtores e Consumidores de Agricultura Biológica e a BioAzórica – Cooperativa de Produtos Biológicos.

Mais informações nas redes sociais do forumbioazores, ou em: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou pelo contacto telefónico 292208800.

Foram realizadas no dia 16 de Agosto no Hospital Internacional dos Açores, as duas primeiras cirurgias de Estenose Aórtica (EA) da Região Autónoma dos Açores, com recurso à técnica TAVI (ThranscatheterAorticValveImplantion).
A EAéuma das doenças mais comuns na população idosa, tendo uma prevalênciade cerca de 4% acima dos 75 anos, correspondendo a 40% de todas as valvuloplastias diagnosticadas. Em Portugal estima-se que esta condição afete mais de 30.000 pessoas, número que tenderá a aumentar de acordo o envelhecimento populacional.
Esta técnicaexige um conjunto de equipamentos diferenciados, não presentes na grande maioria das Unidades de Saúde, dificultando o acessodos doentes à mesma. Este tratamento tem assimetrias consideráveis em toda a Europa, sendo que em Portugal esse desfasamentoéainda mais significativo.
O Hospital Internacional dos Açores tem uma sala de hemodinâmicade características híbridas,ondeépossívelrealizar todo o tipo de intervençõescardíacase vasculares em condições de bloco operatório e com recurso a equipamentos topo de gama.
Com recurso a uma equipa multidisciplinar composta por Cardiologistas de Intervenção ( Prof.JoséBaptista,Prof.ManuelAlmeida e Dr. Miguel Pacheco) Cirurgião Cardiotorácico( Prof. Javier Gallego) e Cardiologistas (Dra. Raquel Dourado e Dra. Anabela Tavares) entre outros, foram assim realizadas duas cirurgias, com colocação de próteses aórticas por meio dum cateterismo, evitando, assim, a realização duma cirurgia de peito aberto nestes doentes de risco cirúrgico elevado e deslocações ao exterior da Região, promovendo a proximidade com a família.
O coordenador da Cardiologia do HIA, Prof. José Baptista, considera que as condições proporcionadas pela sala híbrida de Intervenção Cardiovascular , conjuntamente com uma equipa médica multidisplinarcom ampla experiência na realização de intervenções cardiovasculares complexas, constituem uma enorme mais valia para a população dos Açores.
"Privilegiamos a acessibilidade de toda a Comunidade que nos procura, com protocolos com as principais Seguradoras Nacionais, ADSE e Instituições Regionais, permitindo assim uma melhoria significativa na realidade e na perspetiva da prestação de cuidados de saúde, uma vez que se trata de um bem de valor inestimável, valorizado por todos, e refletido no nosso slogan, “A sua saúde. A nossa missão!”".

Os quatro presidentes de Junta eleitos pelo PSD na Praia da Vitória, e recandidatos às eleições de 26 de setembro, congratulam-se com o reconhecimento da necessidade do aumento de verbas para os acordos de delegação de competências (tarefas da responsabilidade da Câmara delegadas nas Juntas a troco de dada compensação financeira), demonstrado por todas as candidaturas à autarquia.

César Toste, Hélio Rocha, Luís Vieira e Paulo Sousa afirmam que “é com grande satisfação que vemos os candidatos ao município reconhecerem esta necessidade. Apenas lamentamos que muitos dos seus protagonistas, quer da candidatura pelo Partido Socialista, quer da candidatura independente, sua dissidente, não o tenham feito mais cedo, uma vez que tiveram responsabilidades autárquicas nos últimos quatro anos”.

Indo mais além, apontam o dedo à falta de solidariedade dos atuais autarcas de freguesia do PS: “Falamos dos vereadores que votaram contra este reconhecimento, mas também falamos dos deputados municipais socialistas, entre eles colegas – ainda Presidentes de Junta de Freguesia – que conhecem bem as enormes dificuldades do autarca de freguesia em responder com recursos parcos às exigências diárias da população, mas preferiram subjugar-se aos interesses partidários”, lamentam.

Os candidatos praienses relembram que “durante o atual mandato estivemos sozinhos nesta reivindicação, denunciando tal situação publicamente logo em novembro de 2018, mas sem qualquer efeito”. “As consecutivas propostas do aumento adequado de verbas nos acordos de delegação de competências apresentadas, quer em reunião de Câmara pelos vereadores do PSD, quer em Assembleia Municipal pelos deputados municipais do PSD, foram sempre rejeitadas pela maioria socialista, acabando por resultar vergonhosamente no aumento de 10% aos valores já praticados”, criticam.

“Ainda na Assembleia Municipal de dezembro de 2020, e perante uma nova proposta de revisão dos acordos de delegação de competências apresentada pelas Juntas do PSD, o PS engendrou um esquema para impedir que a votação da referida proposta fosse levada a cabo”, acrescentam.

Os quatro Presidentes de Junta do PSD acusam “o evidente tratamento discriminatório e a falta de diálogo do executivo socialista” e alertam para as consequências na gestão das suas autarquias: “É importante que as pessoas percebam que esta atitude teve impacto na forma e na celeridade como a Juntas responderam às necessidades da população, como a da limpeza de ribeiras para salvaguarda da segurança de pessoas e bens, da limpeza de valetas, da manutenção de espaços verdes e de zonas balneares”.

A finalizar, asseguram que, “não obstante, com os meios que tínhamos defendemos sempre o interesse das nossas freguesias enquanto outros, por orgulho ao partido, votaram contra quem representavam e quem os elegeu. Esperamos que os praienses saibam reconhecê-lo.”

Recorde-se que o PSD na Praia da Vitória tem vindo a denunciar ao longo destes quatro anos a discriminação, as parcas verbas transferidas e a falta de diálogo do executivo socialista para com as suas Juntas de Freguesia.

Fonte: PSD/Açores

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante