Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

O Secretário Regional da Saúde e Desporto considerou hoje que o balanço do processo de vacinação contra a Covid-19 nos Açores é “muito positivo”.
“Aqui chegados, podemos dizer que já inoculámos mais de 275 mil doses” – disse Clélio Meneses no final de uma visita ao Posto de Vacinação de Santa Luzia, na Praia da Vitória. “Com a 1ª dose já ultrapassamos os 60 por cento e com a 2ª dose, com a vacinação completa, já ultrapassamos os 56 por cento” - pormenorizou.
O governante relembrou que cinco das nove ilhas açorianas estão já imunizadas e espera que as outras consigam atingir o mesmo objetivo em breve. “Temos Faial a cerca de 1.500 doses da população inoculada, com cerca de 70 por cento, temos as Flores a menos de 200 doses e estamos a caminhar a alta velocidade para atingir o nosso objetivo que era vacinar, por forma a proteger a população, do drama que tem vivido no último ano e meio” – afirmou.
Na ocasião, Clélio Meneses anunciou também novo incremento no processo de vacinação em São Miguel e na Terceira, sendo que na primeira será ultrapassada a fasquia das 2.000 inoculações por dia, já na próxima semana, enquanto na Terceira o valor deverá situar-se entre 1.500 a 2.000. “Há um reforço que decorre da bolsa de enfermeiros que a Ordem dos Enfermeiros disponibilizou à região e esse reforço de meios implica que haja mais enfermeiros para vacinar. Para além disso, há um incremento ao nível do número de espaços de vacinação em cada posto e dos respetivos horários”, acrescentou.
Instado a comentar o aumento de casos positivos na Região nos últimos dias, face ao alívio de medidas restritivas, Clélio Meneses foi perentório: “A partir do momento em que a vacinação assumiu os níveis que tem assumido, a proteção que os governos dão às pessoas é através da vacinação. E se dão através da vacinação, é necessário que existam menos medidas restritivas. E assim há mais casos. E os casos que existem são mais, mas não têm uma correspondência em termos de internamentos e óbitos, o que quer dizer que a vacinação está a produzir efeito e estamos a fazer o que devíamos fazer, esperando que a população também corresponda, aceitando a vacinação”.
O Secretário Regional da Saúde e Desporto apelou às pessoas com mais de 40 anos que não tenham sido vacinadas, que contactem os Centros de Saúde respetivos, ou os Postos de Vacinação em funcionamento, para efetuarem a inscrição.

A Câmara Municipal da Praia da Vitória, em virtude do agravamento da situação epidemiológica provocada pela pandemia COVID-19, determinou reforçar algumas das medidas previstas no seu Plano de Contingência, aplicando, a partir desta sexta-feira, dia 23 de julho, e até ao próximo dia 31 de julho, sempre que exequível o teletrabalho e o cancelamento de eventos por si promovidos.
Num despacho assinado por Tibério Dinis, Presidente do Município, lê-se que as medidas agora adotadas estão em linha com as “recomendações emanadas pelas entidades competentes, nomeadamente as autoridades de saúde” e resultam “da evolução da situação epidemiológica, em particular no Concelho da Praia da Vitória”.
Assim, “com efeitos a partir de 23 de julho de 2021”, o autarca determinou “a adoção do regime de teletrabalho nas atividades e funções em que o mesmo seja exequível”, com a particularidade de poderem ser criados “grupos de trabalho alternando entre si o trabalho presencial e o teletrabalho” e a possibilidade de “mobilidade temporária de colaboradores entre diferentes setores ou serviços, dentro da mesma unidade orgânica por forma a equilibrar as equipas de trabalho e o funcionamento dos serviços, desde que autorizado pelo Chefe de Divisão”.
Para além disso, foi determinado cancelar “os eventos públicos promovidos pelo Grupo Municipal, especificamente a programação de animação cultural, musical e desportiva, no âmbito da programação alternativa às Festas da Praia 2021”, bem como “as atividades culturais, sociais e desportivas promovidas pelo Grupo Municipal, exceto as atividades desportivas federadas”.
Das medidas de prevenção à saúde pública e combate à pandemia agora definidas pela Câmara Municipal, passam a estar limitados “os visitantes nos espaços municipais abertos ao público, especificamente a Biblioteca Municipal, o Centro de Interpretação Ambiental no Paul da Pedreira (Cabo da Praia) e os espaços turísticos geridos pela Autarquia”, assim como é limitada “a presença de público em eventos culturais e competições desportivas, organizados nas instalações municipais, à capacidade recomendada pelas Autoridades de Saúde, garantindo as regras de distanciamento social”.
O Despacho de Tibério Dinis determina ainda “manter o funcionamento dos serviços municipais presencial, particularmente os serviços de atendimento ao público, salvaguardando o cumprimento das normas de segurança definidas pelas Autoridades de Saúde” e “manter o atendimento prioritário aos munícipes de grupos mais vulneráveis”.
A revogação e/ou adoção de novas medidas serão realizadas sempre com base na evolução da situação epidemiológica e seguindo as recomendações das Autoridades de Saúde.

A AHRESP - Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal reuniu-se com os seus associados dos Açores para auscultar as suas preocupações e criou um Plano com 9 medidas nas áreas do Consumo, Liquidez, Financiamentos, Fiscalidade, Emprego e Qualificação. As propostas, apresentadas hoje ao Governo Regional dos Açores, têm como objetivo salvar os setores mais prejudicados pela crise pandémica: o alojamento turístico e a restauração e similares.
Das medidas apresentadas destaca-se um conjunto de soluções de Incentivo ao Consumo. O levantamento gradual das medidas ao normal funcionamento dos estabelecimentos, designadamente o alargamento dos horários, bem como a clareza e oportunidade da implementação das medidas decidas pelo Governo, são fatores determinantes para o incremento do consumo.
Na vertente da Liquidez, uma das medidas propostas diz respeito à Compensação do agravamento da TSU suportada pelo empregador por força da atualização do Salário Minino Regional.
No âmbito das Qualificações, a AHRESP propõe um plano integrado de ações para fazer face às carências de formação e de capacitação nos setores de alojamento turístico, restauração e similares.
A implementação das 9 medidas propostas pela AHRESP é essencial para que as empresas consigam sobreviver até à retoma da atividade económica. Só com medidas robustas, ágeis e céleres, é que será possível alcançar o equilíbrio entre economia e saúde.
Mais de um ano depois do início da crise pandémica provocada pela Covid-19 e com o habitual reforço das tesourarias na tradicional “época alta” neste momento comprometido, a AHRESP tem vindo a defender, de forma reiterada, a necessidade da criação de novos mecanismos de apoios para as empresas.
Os estudos e dados oficiais confirmam e chegam mesmo a ultrapassar o que a AHRESP sempre estimou: as empresas ligadas aos vários setores do turismo, desde o alojamento turístico à restauração e similares, têm sido especialmente impactados pela crise pandémica. São disso exemplos os mais recentes dados revelados no relatório de “Combate à fraude e evasão fiscais e aduaneiras 2020”, que refere que os setores do Alojamento e da Restauração (Canal HORECA) registaram uma quebra de 41% em 2020 face a 2019, o que significa que se perderam mais de 6,5 mil milhões de euros.

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante