Diretor: Sebastião Lima
Diretor Adjunto: Luís Moniz
Últimas Notícias

A Associação dos Lesados do Banif (ALBOA) convocou para a manhã desta quinta-feira, 10 de Junho, no Funchal, uma manifestação de protesto pelo arrastar, vai para seis anos, do caso. A manifestação tem lugar no decurso das Comemorações oficiais do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.
Com esta iniciativa a ALBOA quer também assinalar, precisamente no dia 10 de Junho, os portugueses, nomeadamente muitos dos nossos emigrantes, abandonados pela Pátria, entre os quais milhares de lesados do Banif.
Recordando mais uma vez: o Banif era, à data da sua resolução, um banco detido esmagadoramente pelo Estado (ao contrário do BES, como se sabe). E foi como instituição bancária esmagadoramenta detida pelo Estado que decorreu, em grande parte, a chamada capitalização do Banif. Capitalização essa que consistiu, numa percentagem muito assinalável, na aplicação de valores de contas-poupança de pequenos aforradores na compra de obrigações subordinadas.
Argumento: era um investimento seguríssimo porque o Banf era do Estado, era a mesma coisa que a CDG. Público-alvo: pequenos aforradores de elevada iliteracia financeira, da Madeira, dos Açores, do continente e das Comunidades Portuguesas da África do Sul, da Venezuela e da Costa Leste dos EUA. Todos abandonados pelo Estado português. Vai para seis anos!
Na passada segunda-feira, dia 7 de Junho, a Direcção da ALBOA foi convocada para uma reunião com representantes do Governo, coisa que não acontecia há meses. A reunião foi inconclusiva e, embora com a promessa de solução, na prática o Governo apenas nos disse para continuarmos à espera.
(Por coincidência a ALBOA teve também segunda-feira uma pequena reunião com o Presidente da República, que se mostrou interessado e pediu mais elementos).
Apreciada a reunião com o Governo, a Direção da ALBOA decidiu manter a convocação da manifestação para quinta-feira 10 de Junho, assinalando especialmente os lesados do Banif emigrantes e abandonados pela Pátria, precisamente no Dia das Comunidades Portuguesas.

A Secretaria Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural, através da Direção Regional do Desenvolvimento Rural, acaba de abrir um período de candidaturas, até 30 julho, com vista à renovação e melhoria das florestas, no âmbito do PRORURAL+, na parte referente aos investimentos no desenvolvimento das zonas florestais e na melhoria da viabilidade das florestas.
Com uma dotação de 1,1 milhões de euros, as candidaturas abrangem a florestação e criação de zonas arborizadas, o apoio à implantação, regeneração ou renovação de sistemas agroflorestais, investimentos para a melhoria da resiliência e do valor ambiental dos ecossistemas florestais e em investimentos em novas tecnologias e na transformação e comercialização de produtos florestais.
Esta é uma oportunidade, advoga o Secretário da Agricultura e Desenvolvimento Rural, António Ventura, para o Executivo Açoriano desenvolver a fileira da madeira nos Açores.
Por outro lado, a medida visa promover os investimentos florestais numa perspetiva de futuro, e enquadrá-los nos próximos fundos comunitários, também a vertente do plurirendimento das explorações agropecuárias.
Assim, uma das linhas de atuação pretende incentivar de forma considerável as tradicionais “cortinas de abrigo” em pastagens.
Esta, acredita a tutela, é uma estratégia em que os Açores darão o exemplo, permitindo novos rendimentos, e estará de acordo com as preocupações ambientais e de sustentabilidade da humanidade, desde logo na necessária retenção do carbono.
A floresta constitui um elemento marcante e estruturante da paisagem açoriana, ocupando cerca de um terço do território terrestre insular da Região Autónoma dos Açores, o que corresponde a uma área de cerca de 74.668 hectares.
Desta área, destacam-se os cerca de 23 mil hectares ocupados por áreas de vegetação natural e, em termos da floresta produtiva, assume especial relevo a criptoméria, que ocupa cerca de 12. 400 hectares.
Para além desta marca de identidade, é unanimemente reconhecido que o sector florestal local tem uma importância económica considerável e um potencial de expansão enorme, devendo assumir nestas ilhas, onde é vital estabelecer compromissos duradouros entre a exploração e a preservação dos recursos, um papel determinante no ordenamento do território.
Desta forma, destaca-se o compromisso do Governo, em alinhamento com a Estratégia Florestal dos Açores, no desenvolvimento do Programa Regional de Ordenamento Florestal, instrumento que se revela fundamental para o ordenamento, gestão e evolução equilibrada do território florestal numa perspetiva de longo prazo.
Também a atualização do Inventário Florestal Regional, que se encontra em curso, é um objetivo fulcral para o XIII Governo dos Açores.

O Presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Tibério Dinis, inaugurou, ao final de tarde da passada quarta-feira, investimentos de cerca de 250 mil euros, na Freguesia dos Biscoitos, nomeadamente as obras de requalificação e beneficiação do Bar do Abismo e a nova infraestrutura de apoio à Calheta dos Lagadores e Fonte das Pombas.
Numa cerimónia onde estiverem presentes várias entidades locais, o edil praiense lamentou “os atrasos registados na obra do Bar do Abismo” e destacou “o rigoroso cumprimento de prazos e orçamentos” da obra na Calheta dos Lagadores e Fonte das Pombas, assumindo que o Município continuará a investir na Freguesia dos Biscoitos, pelas “mais valias incalculáveis que tem para oferecer”.
“Hoje é um dia importante, porque terminamos um processo de uma obra que se transformou penosa, pela forma como a empreitada decorreu. Adjudicámos esta obra do Bar do Abismo em abril de 2020, com o valor de 150 mil euros (valor que foi cumprido), mas o prazo de 90 dias para a sua execução não. Já a obra de construção das infraestruturas de apoio à Calheta dos Lagadores/Fonte das Pombas foi adjudicada e contratualizada em maio de 2021, com um prazo de 60 dias e um valor de 100 mil euros, tendo ambas as condições sido rigorosamente cumpridas”, salientou.
Frisando tratar-se de dois investimentos realizados “exclusivamente com fundos próprios” da Autarquia, Tibério Dinis elencou as mais valias que, a partir de agora, estão ao serviço dos concessionários dos espaços e dos utilizadores das zonas balneares dos Biscoitos.
O Bar do Abismo registou uma ampliação para o triplo das zonas de cozinha e área de refeições, tendo sido intervencionadas as instalações sanitárias e balneários de apoio aos banhistas, que passam a ter acessos separados. Já na Calheta dos Lagadores foi inaugurado um edifício de apoio à atual zona de banhos com sanitários, balneários, bar e quarto de arrumos para os equipamentos de apoio. Considerando a proximidade com o início da época balnear e para evitar mais atrasos na disponibilização destas infraestruturas ao público, será a Cooperativa Praia Cultural a assegurar a gestão dos espaços neste primeiro ano de funcionamento.

Melhores condições para o Verão e para o Inverno

Com os investimentos agora inaugurados, nomeadamente no Bar do Abismo, Tibério Dinis frisou que a Freguesia dos Biscoitos “fica dotada de mais um espaço e com melhores condições para a prática da restauração e apoio à prática balnear, mas sobretudo, permitindo que esta infraestrutura tenha condições para laborar durante todo o ano, isto é, estamos em funcionamento também na época de outono/inverno”.
“A mais valia de toda a frente de mar dos Biscoitos é incalculável, porque representa aquilo que nos diferencia. Por isso, já em 2019, em esta zona balnear dos Biscoitos tinha vencido o galardão nacional de Praia Mais Acessível. Apesar de termos ganho este galardão, não ficamos por aí e procuramos melhorar aquilo que já tínhamos para oferecer, com os investimentos que agora inauguramos”, afirmou.

Época Balnear 2021

Aproveitando a ocasião, o Presidente do Município referiu que “está para breve a abertura oficial da época balnear 2021”, sublinhando que, mais uma vez, o Concelho da Praia da Vitória “está acima da média nacional na qualidade e quantidade de zonas balneares galardoadas que tem para oferecer”.
“A Praia da Vitória conta, este ano, com 9 águas balneares classificadas pela Direção Regional dos Assuntos do Mar. Estamos a falar de mais uma do que nos anos anteriores e a novidade é precisamente a Calheta dos Lagadores e Fonte das Pombas. Estamos acima da média, mas queremos sempre mais, pelo que nos cumpre agora, à Junta de Freguesia, à Câmara Municipal e ao Governo Regional, continuar a fazer o trabalho necessário para que a Calheta dos Lagadores/Fonte das Pombas possa ser classificada, formalmente, como zona balnear e candidatá-la à Bandeira Azul da Europa”.
Aliás, insistiu, “a Praia da Vitória tem liderado, em termos regionais, no número de zonas balneares distinguidas pela qualidade e sustentabilidade da Bandeira Azul, pois, somos o Concelho dos Açores com mais galardões da Bandeira Azul e mais galardões de Praia Mais Acessível, para pessoas idosas e com mobilidade reduzida. Tudo isto obriga-nos a investimentos constantes nas infraestruturas, mas, também, nas condições de segurança, processo que continuará a ser desenvolvido em articulação com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Praia da Vitória e com a Capitania do Porto da Praia da Vitória e Polícia Marítima”.

Parque de Campismo dos Biscoitos

Tibério Dinis aproveitou ainda estas inaugurações para anunciar que “está a ser preparada a abertura do parque de campismo dos Biscoitos”, revelando que a concessão da infraestrutura deverá ficar a cargo de instituições da Freguesia.
“Da última vez que realizamos a Presidência Aberta aos Biscoitos identificámos a questão do parque de campismo como situação a resolver, dado que se encontra fechado. Lançamos então o repto ao associativismo local dos Biscoitos no sentido de saber se alguém, localmente, estaria disponível a explorar aquela infraestrutura, uma vez que, no passado, foram lançados muitos concursos, feitas muitas concessões, mas nunca tivemos o sucesso que todos almejamos. Assim, numa iniciativa que junta duas associações locais que já manifestaram à Câmara Municipal da Praia da Vitória a disponibilidade para gerirem o parque de campismo, vão agora ser diligenciadas as condições para que esta infraestrutura possa ter a valorização que esta Freguesia e o Concelho merecem”.
O autarca deixou ainda duas notas finais, para lembram “a importância estratégica” da existência nos Biscoitos das valências de Creche e CATL e da Escola Básica Integrada, “infraestruturas essenciais no âmbito das políticas de proximidade, educação e fixação de população”, disse.
A Creche e CATL (infraestruturas municipais concessionadas a privados) albergam crianças oriundas da Freguesia dos Biscoitos, mas também das vizinhas Freguesias de Quatro Ribeiras, Altares, Raminho e Serreta, pelo que “é fundamental continuar a investir e apoiar”, assim como a Escola Básica e Integrada que, “não sendo competência do Município, sempre temos vindo a apoiar na concretização de investimentos de melhoria e inovação do espaço”, realçou o edil, porque são “fundamentais nesta zona do Concelho e da Ilha”.

Acerca do Jornal da Praia

Este jornal é um quinzenário de informação geral que tem por objetivo a divulgação de factos, opiniões, debates, ideias, pessoas, tendências, sensibilidades, em todos os domínios que possam ser importantes para a construção de uma sociedade mais justa, livre, culta, inconformada e criativa na Região Autónoma dos Açores.

Este jornal empenha-se fortemente na unidade efetiva entre todas as ilhas dos Açores, independentemente da sua dimensão e número de residentes, podendo mesmo dar atenção primordial às ilhas de menores recursos, desde que tal postura não prejudique a implantação global do quinzenário no arquipélago dos Açores.

Área do assinante