Jornal da Praia

PUB

A repblica vai nua

Segunda, 25 de Janeiro de 2010 em Opinião 997 visualizações Partilhar

A repblica vai nua

Dez milhões de euros é quanto o estado português vai gastar nas comemorações do centenário da república, uma fortuna dirão muitos, outros nem tanto. Mas façamos as contas, 10 milhões é aproximadamente o número de portugueses residentes em Portugal, logo cada um terá que desembolsar um euro para a festança. Quer goste ou não, quer seja ou não a favor da república.

Temos pois que, no número dos pagantes, estarão os que apoiam, os que nem querem ouvir falar, os que nunca ouviram falar nem sabem bem o que é uma república, e os que simplesmente se estão borrifando para o assunto. Pegando no raciocínio atrás exposto, podemos afirmar que todos vão pagar e poucos vão festejar. Nada de admirar, visto que a república já nos habituou a pagar e calar.

Agora meditemos no seguinte: festejar o quê? Dezoito anos de governos fracassados, e sem credibilidade logo no inicio da republica, que para se armar em grande enviou um contingente de militares para uma guerra que nada tinha a ver com Portugal? Festejar talvez, a ditadura salazarista que surgiu por incompetências e divergências no meio republicano da época, que para além de ter deixado as contas públicas na ruína, deixou ao abandono completo as antigas colónias portuguesas. Festejar a miséria de país que tivemos desde então, com uma população praticamente analfabeta, e que para não morrer de fome o que lhe restava era a emigração, para o estrangeiro onde aceitavam todos os tipos de trabalhos, visto que a república nunca se preocupou em qualificar e escolarizar os seus cidadãos, salvo raras excepções como o plano dos centenários que foi uma tentativa débil de remediar o mal que vinha detrás. Teremos talvez motivo para festejar, as perseguições políticas e religiosas do estado novo republicano? Talvez possamos festejar a morte de milhares de rapazes que foram mandados para o ultramar, defender as antigas províncias ultramarinas, e tudo por causa de uma república irresponsável que se recusava a ver que o mundo mudava á sua volta e que o velho colonialismo estava moribundo. Terão talvez motivos para festejar todos os que ficaram estropiados nessa guerra? E como se não bastasse a república depois de uma revolução pacífica, entrega as colónias a partidos militarizados que não se entendiam entre si, e desse modo alimentou mais duas guerras vergonhosas para Portugal. Que o digam os civis que ficaram em Timor, Angola ou Moçambique. A república para além de não ter preparado os povos para a descolonização, traiu, abandonou e fugiu ás suas responsabilidades, deixando para trás milhões de pessoas que confiavam no nome de Portugal.

Depois de um período deveras controverso, chegamos aos nossos dias com o mais alto endividamento de sempre quer das famílias, quer do estado, a mais elevada taxa de desemprego, os escândalos mais bombásticos envolvendo políticos e banqueiros ou outros interesses, numa republica onde a justiça é lenta ou simplesmente não funciona, onde os mais fracos e desprotegidos são os que são mais sacrificados. Nesta república onde os jovens o que têm á sua frente é o não futuro, o desemprego ou o emprego precário a longo prazo, e onde cada vez mais a saúde é um luxo a que só alguns podem chegar, temos ao mesmo tempo dez milhões de euros para festejar os 100 anos da dita república. Nesta república que regateia tostões aos reformados que deram uma vida de trabalho, gasta-se á grande para festejar ninguém sabe bem o quê… A república vai nua… 

Paulo Nascimento