Jornal da Praia

PUB

Editorial - Policarpo

Domingo, 23 de Março de 2014 em Editorial 866 visualizações Partilhar

Editorial - Policarpo

D. José Policarpo, ex–Cardeal Patriarca de Lisboa, faleceu no dia 12 de Março, vítima de um aneurisma na aorta na sala de operações do Hospital de SAMS em Lisboa.

A morte deste grande Homem da Igreja Católica do nosso tempo, apanhou toda a gente de surpresa, inclusive o seu médico pessoal, Dr. Faustino Ferreira.

O país, a Região Autónoma dos Açores está de luto pela morte de uma das mais importantes figuras da Igreja Católica Portuguesa e que defendia eloquentemente que “a fé universal proceda a paz universal, para que o Mundo, tornado consequentemente um só pela fé, também se torne um só através da caridade e da paz.”

A morte do Patriarca Emérito de Lisboa aos 78 anos de idade é uma grande perda para os católicos portugueses, um exemplo que inequivocamente deve ser seguido, para o aumento e prosperidade da fé Católica.

O funeral de D. José realizou-se no dia 14 de Março de 2014 na Sé de Lisboa, e o corpo foi depositado no Mosteiro de S. Vicente de Fora, no Panteão dos Patriarcas.

D. José Policarpo nasceu a 28 de Fevereiro de 1936, no seio de um casal de agricultores, sendo o mais velho de nove irmãos.

D. José Policarpo foi ordenado Padre em 1961, aos 25 anos, depois de ter estudado no Seminário, após a conclusão da instrução primária.

Foi para Roma em 1966, frequentou a Pontifícia Universidade Gregoriana, onde se licenciou e fez o doutoramento, em 1978, foi nomeado Bispo Auxiliar de Lisboa e esteve na génese do projecto da Igreja Católica para a TVI.

D. José Policarpo foi nomeado Cardeal a 21 de Janeiro de 2007, pelo Papa João Paulo II, e participou nos Conclaves que elegeram o Papa Bento XVI, e o Papa Francisco.

Foi o 16º. Patriarca de Lisboa, função que exerceu durante 15 anos, passando o seu testemunho a D. Manuel Clemente, actual Patriarca de Lisboa.

O Cardeal Emérito de Lisboa, D. José Policarpo era uma pessoa com uma vida simples, desprendida dos bens materiais, vivendo a fé católica de forma genuína e pregando a paz e a concórdia entre as ovelhas do seu redil.

D. José Policarpo, pessoa muito séria, com grande lastro cultural, e com vasto conhecimento teológico, publicou diversos trabalhos relacionados com a fé e a igreja.

Foi um homem que ficará para sempre na história da Igreja Católica Portuguesa, e sem dúvida alguma da lei da morte se libertou…

Diretor, Sebastião Lima

 

Foto/ Agência Ecclesia