Jornal da Praia

PUB

EDITORIAL

Quarta, 03 de Julho de 2013 em Editorial 903 visualizações Partilhar

EDITORIAL

A proposta de reestruturação do Serviço Regional de Saúde, apresentada pelo Governo Regional dos Açores e defendida radicalmente pelo Secretário Regional da Saúde, Luís Cabral não leva em conta as especificidades das Ilhas Açorianas, nomeadamente a descontinuidade territorial, que por si só é completamente diferente do território continental, realidade esta que justifica os rácios ali aplicados.

Ora, com base numa visão fortemente centralista e economicista, a proposta em causa leva à solidificação e concentração do Serviço Regional de Saúde no Hospital de Ponta Delgada, diminuindo as valências nos outros hospitais e nos centros de saúde, dispersos por estas ilhas.

A população do concelho da Praia da Vitória opõe-se veementemente à proposta de reestruturação do Serviço Regional de Saúde, que reduz as urgências no Centro de Saúde da Praia da Vitória, nomeadamente o encerramento das urgências a partir das 20H00, nos dias de semana, ao sábado à tarde e ao domingo durante todo o dia e para tal o povo do Ramo Grande já fez chegar uma petição pública subscrita por cerca de 3.000 pessoas à Senhora Presidente da Assembleia Regional dos Açores demonstrando o seu descontentamento, e apelando à sua inviabilidade.

É louvável, e cabe-nos realçar, a posição assumida pelo Presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Roberto Monteiro, em defesa dos seus munícipes, para que o serviço de saúde às populações do concelho não possa ser prejudicado, mantendo-se a acessibilidade à saúde no mais alto nível, não penalizando ainda mais os Praienses, pois a proposta em causa foi feito por quem não conhece a realidade do concelho da Praia da Vitória.

O Governo Regional deve retirar tal proposta, pois mantê-la seria um retrocesso civilizacional, tendo em conta que desde os finais da década de 60 do século passado, a população do concelho da Praia da Vitória tem serviços de urgência que se iniciaram no chamado Hospital Concelhio da Praia da Vitória.

Como muito bem já realçou o Presidente Roberto Monteiro, não estamos contra a reestruturação do Serviço Regional de Saúde, não queremos tal reestruturação na forma proposta, porque não pode haver de forma alguma perda de acessibilidade à saúde por parte da população. Pretendemos uma reforma que resolva as listas de espera, que solucione a falta de médicos de família e que aposte fortemente “nos princípios de equidade nos cuidados de saúde, no reconhecimento da necessidade de promoção e protecção da saúde como meio de desenvolvimento económico e social sustentável”.

 

Diretor - Sebastião Lima