Jornal da Praia

PUB

CANTO DO TERESINHA - QUEM DISSE ISTO, QUEM FOI?

Quarta, 12 de Junho de 2013 em Opinião 871 visualizações Partilhar

CANTO DO TERESINHA - QUEM DISSE ISTO, QUEM FOI?

O Canto do Terezinha gosta de ler coisas escritas por outros, quando discretas, e vai daí um dia destes, na revista Sábado, e da pena de Gonçalo Bordalo Pinheiro, leu os excertos que a seguir se reproduzem com a devida vénia, da autoria de conhecido político, e que aqui se arquivam para memória futura, não vá a memória dos povos ser curta demais...

Sobre austeridade: "O Governo pediu que o Ministério das Finanças criasse um novo tipo de receitas, daí surgiram estes novos impostos". A seguir foram anunciadas "medidas de rigor" e foi explicado " em que consistia a política de austeridade, dura mas necessária para readquirirmos o controlo da situação financeira, reduzirmos os défices e nos pormos ao abrigo de humilhantes dependências exteriores, sem que o país caminhe necessariamente para a bancarrota e o desastre."

E sobre a visão do estrangeiro: "quem vê do estrangeiro este esforço e a coragem com que (estão a ser aplicadas) as medidas impopulares, aprecia e louva o esforço feito por este Governo"." A terapêutica de choque não é diferente, aliás, da que estão a aplicar outros países da Europa bem mais ricos do que nós."

Quanto a desemprego: Desemprego e salários em atraso são "uma questão das empresas e não do Estado." Fazem "parte do livre jogo das empresas e dos trabalhadores". "O Estado só deve garantir o subsídio de desemprego."

E em relação às falências:" O que sucede é que uma empresa quando entra em falência...deve pura e simplesmente falir". "Só uma concepção estatal e colectivista da sociedade é que atribui ao Estado essa responsabilidade".

Sobre a CGTP: "a CGTP concentra-se em reivindicações políticas com menosprezo dos interesses dos trabalhadores que pretende representar". "Basta circular pelo país e atentar nas inscrições nas paredes." São "uma verdadeira agressão quotidiana que é intolerável que não seja punida por lei. E sê-lo-á.

Agora adivinhem quem disse estas coisas lindas:

Durão Barroso? António Salazar? Medina Carreira? Passos Coelho? Álvaro Barreirinhas Cunhal? Mário Soares? Vítor Gaspar?...

Pois com surpresa para Canto do Terezinha, que tinha ido à Aula Magna em Lisboa ouvir os apelos à revolução já, foi o primeiro-ministro entre 1983 e 1984, que teve de recorrer a ajuda externa para evitar a bancarrota, logo Mário Soares!?...

E Fernando Pessa e CT em coro: E esta, hein?...

Foto/ http://digitalblue.blogs.sapo.pt