Jornal da Praia

PUB

Novas estruturas aeroporturias para desenvolver a ilha Terceira

Quinta, 02 de Outubro de 2008 em Atualidade 1006 visualizações Partilhar

Novas estruturas aeroporturias para desenvolver a ilha Terceira O Presidente do CDS-PP Açores, Artur Lima, anunciou ontem, que do manifesto eleitoral para a ilha Terceira às Regionais de 19 de Outubro constam duas “reivindicações antigas” do Partido para “desenvolver toda a potencialidade da ilha”, nomeadamente um novo Terminal de Carga para a Aerogare Civil das Lajes e um aumento da placa de estacionamento de aeronaves civis do aeroporto terceirense.
Segundo o dirigente popular, um novo terminal de carga servirá para separar “em definitivo” a manutenção das aeronaves da carga aérea, tendo em vista “um melhoramento da capacidade de resposta e de armazenamento e toda a eficiência de gestão da carga, melhorando a operacionalidade e criando mais emprego”.
Para o CDS-PP esta infra-estrutura tem que ser feita “rapidamente”, até como forma de “valorizar as recentes obras feitas na Aerogare Civil”.
Outra proposta democrata-cristão prende-se com a ampliação da placa de estacionamento de aviões civis “para aumentar a capacidade e operacionalidade deste aeroporto”, disse Artur Lima, acrescentando que “é fundamental que se esclareça se o processo já está na ANA, se a ANA já deu início aos estudos e se a Força Aérea Portuguesa já foi consultado sobre esta matéria”.
O cabeça de lista do CDS-PP pela ilha Terceira e pelo novo Círculo Regional de Compensação entende que estas duas obras “são fundamentais para desenvolver, em conjunto com a renovada Aerogare, toda a potencialidade da Ilha Terceira, nomeadamente em termos económicos”.
“Com estas duas infra-estruturas aumenta-se a potencialidade turística da ilha Terceira, por um lado, e, por outro, ambos os investimentos terão implicações na vertente económica, através da criação de emprego”, frisou.
Artur Lima lembrou que “já desde há algum tempo que o CDS-PP tem reivindicado estas duas infra-estruturas para a Ilha Terceira, particularmente em debates na Assembleia Legislativa”, lamentando, por isso, que ambas nãos estejam ainda concretizadas.
Entretanto, do ponto de vista de transportes aéreos, o manifesto do CDS-PP pela Ilha Terceira incluí, ainda, segundo o cabeça de lista centrista a defesa “do alargamento a todo o ano do voo Terceira/Porto/Terceira e com mais frequências semanais”.

 

“Rosa murchou  com a seca”

 

Outra matéria que o dirigente popular abordou esta quarta-feira, na conferência de imprensa realizada junto à Aerogare Civil das Lajes, tem que ver com a falta de água para consumo humano e para abastecimento à lavoura no Concelho de Angra do Heroísmo.
Neste capítulo Artur Lima é bastante crítico, pois considera que “é engraçado que quando não chove a seca provoque falta de água e que quando chove a chuva provoca falta de água”.
“Eu diria que a seca do Verão provocou o murchar da rosa e agora, com a rosa murcha, ficaram na Câmara Municipal os espinhos. Por isso, alerto os terceirenses, porque se só restam espinhos, é preciso pensar bem quem escolher quando forem chamados a votar”, ironizou.
“Os terceirenses têm que pensar muito bem nas escolhas que fazem: se querem aqueles que investem no acessório, em vez de no essencial, ou seja, se preferem os que investem em folclore e festanças, em vez de investir em água para consumo humano e para a lavoura”, afirmou.
“Para o bem são todos socialistas e para o mal também têm que ser todos socialistas. Está na altura de exigir responsabilidades às governações socialistas. O lado negro e seco da política rosa está à vista na Câmara Municipal de Angra do Heroísmo”, considerou Lima.
O Presidente do CDS-PP Açores salienta que é chegado ao momento de “exigir que a Presidente da Câmara Municipal assuma os erros e resolva os problemas em vez de andarem a arranjar desculpas esfarrapadas para aquilo que não sabem resolver e que deixaram, negligentemente e por incompetência, ao longo destes anos, perder um bem essencial como é a água”.