Jornal da Praia

PUB

CONSIDERA O COORDENADOR DA FORMAÇÃO: FUTEBOL NA TERCEIRA “VAI DAR O SALTO” COM PARCERIA ENTRE LUSITÂNIA E SPORTING

Terça, 01 de Outubro de 2019 em Cultura e Desporto 162 visualizações Partilhar

CONSIDERA O COORDENADOR DA FORMAÇÃO: FUTEBOL NA TERCEIRA “VAI DAR O SALTO” COM PARCERIA ENTRE LUSITÂNIA E SPORTING

Falar do futebol de formação, é falar do futebol do amanhã. E a Escola Academia Sporting (EAS) sabe disso melhor do que ninguém, uma vez que ajudou a traçar o percurso de sucesso de Luís Figo e do melhor do mundo, Cristiano Ronaldo.

Mas os craques da bola também podem nascer em Angra do Heroísmo, a cidade na Ilha Terceira, no Arquipélago dos Açores, que acolheu recentemente uma EAS, integrada no departamento de formação do Sport Clube Lusitânia (SCL), ampliando assim a rede nacional de escolas para 28.

A EAS na cidade Património Mundial pela UNESCO, arrancou oficialmente na presente época desportiva 2019/2020, após quatro meses de introdução no ano passado, limando as arestas necessárias para aplicar com todas as condições a metodologia do Sporting Clube de Portugal.

“A grande vantagem dessa parceria é a metodologia Sporting em que, aqui nos Açores, e em Angra do Heroísmo, em particular, os miúdos dispõem das mesmas oportunidades e das mesmas ferramentas que têm os do Continente. Essa metodologia é igual à que existe nas outras escolas do país”, contextualiza João Aguiar, coordenador do futebol de formação do SCL e da escola leonina angrense.

O mister, há quase 30 anos ligado ao futebol, considera que, através desta parceria, o “desporto-rei” na Ilha Terceira “vai dar o salto”, isto é, explica, daqui a cinco, seis anos, a evolução será notória.

“Esta parceria irá evitar a estagnação. E os outros vão ter de acompanhar essa evolução”, salienta referindo-se ao universo do futebol terceirense.

E se, por um lado, o futuro dos clubes e do futebol está nos pés destes aprendizes, por outro, concentra-se também nas mãos destes mesmos cidadãos. Neste sentido, o responsável defende o desporto como um contributo para a cidadania, com ética e valores que, em suma, farão “os jogadores e os homens do amanhã”.

Deste modo, actualmente são quase 150 crianças e jovens – nos escalões Escolinhas, Infantis e Iniciação -, entre 4 e 15 anos de idade, que seguem as orientações de 17 técnicos devidamente formados e credenciados para o efeito, com treinos regulares no Estádio João Paulo II e no Campo de Jogos da Terra Chã onde estão sediados os serviços administrativos da EAS.

Um número expressivo de atletas para a realidade local que, apesar de dar mostras de crescimento, adianta João Aguiar, será necessário impor balizas sob pena de faltar treinadores para o seu acompanhamento.

A propósito, os números indicados referem-se todos a atletas do sexo masculino. Porém, esclarece o responsável, o futebol de formação está aberto às meninas. Elas só precisam de aparecer e inscrever-se.

“Gostávamos de ter uma equipa de meninas. Já apareceu uma ou outra, mas sozinhas acabam por se desmotivar. Mas, sem dúvida, temos essa vontade”, prontifica.

PAIS E TREINADORES TÊM “PAPEL FUNDAMENTAL”

Como em tudo na vida, os caminhos fazem-se de altos e baixos, neste caso de vitórias e derrotas, dentro e fora das quatro linhas. Quando é preciso vencer o desânimo, o conselho de João Aguiar é peremptório: “Ser persistente. Não desistir”. Palavras do mister proferidas nas reuniões com os pais e encarregados de educação dos atletas da formação do Lusitânia/ EAS. Porque há que dar conta das actividades e das linhas orientadoras da época desportiva. E porque também os pais devem ser cada vez mais aliados dos seus filhos no contexto da prática desportiva. “As crianças e os jovens não são jogadores em ponto pequeno, são sim aprendizes. E, por isso, os resultados dos jogos são secundários. Temos todos o dever de incentivar para o aperfeiçoamento da criança, não de enaltecer os seus erros”, sublinha em jeito de chamada de atenção para os adultos que, muitas vezes, critica, são os primeiros a manifestar dificuldades em lidar com os momentos menos bons das performances em campo dos seus filhos e educandos.

“O objectivo primeiro é ensinar uma modalidade que os miúdos gostam”, diz.

CRESCER DE “LEÃO AO PEITO”

Crescer com talento de “leão ao peito” é o que se pretende com a EAS, e, em Angra do Heroísmo, os primeiros passos foram dados nesse sentido há dois anos, sendo a primeira nos Açores e a meio do Atlântico.

Agora, prosseguem as várias avaliações pela casa-mãe, mais concretamente no que diz respeito à imagem e organização, colocando a escola leonina angrense integrada no ranking nacional.

É de referir que, na edição de 22 de julho de 2019 do jornal Diário Insular, o técnico dos “leões” responsável para os projetos desportivos e EAS, André Lourenço, manifestou a sua satisfação com o trabalho efetuado na ilha Terceira.

«“Tive a oportunidade de falar com o João Aguiar, que é o coordenador técnico do projeto, com os restantes treinadores e com as pessoas da estrutura. Aproveitei para lhes dar os parabéns, atendendo a que não é habitual uma escola, com tão pouco tempo de funcionamento, estar tão bem organizada. Isto significa que o Lusitânia é uma estrutura preparada, o que lhe permite dar passos seguros na implementação da Escola Academia Sporting.”», pode-se ler naquele diário terceirense.

Por seu turno, João Aguiar diz sentir-se muito feliz com as palavras do referido técnico, sublinhando que estes resultados são fruto de um trabalho de equipa, em estreita colaboração com Mário Santos, do Lusitânia, e, também, da sua longa experiência no futebol da qual permitiu-lhe viver e observar diferentes realidades nesta matéria.

“Vindo dele, claro, ficamos muito contentes, e é sinal que estamos no caminho certo”, considera.

Recorde-se que os vínculos e compromisso para com a formação foram renovados com as Escolas Academia Sporting em território nacional, em julho passado, numa cerimónia que teve lugar no Estádio José Alvalade e na qual marcaram presença o presidente do Sport Clube Lusitânia, Luís Carneiro, e o coordenador do futebol de formação lusitanista e da escola leonina angrense, João Aguiar.

Questionado sobre a projecção a nível nacional do nome de Angra do Heroísmo e dos Açores, através da EAS, João Aguiar admite claramente esta possibilidade uma vez que a divulgação no universo Sporting é feita além-fronteiras. As subidas no ranking das escolas e a descoberta de talentos, admite, farão chegar ainda mais longe os nomes e os projectos locais.

E na senda dos talentos de bola no pé, o mister revela que Renato Pires, atleta dos Infantis, sub 13, do futebol de formação, irá deslocar-se em breve ao pólo EUL do Sporting para efectuar alguns treinos.

“É um dos melhores jogadores do seu escalão”, remata.

SB/JP