Jornal da Praia

PUB

IAC: “ISTO É ARTE!” COM PAULO ROMÃO BRÁS

Terça, 10 de Setembro de 2019 em Cultura e Desporto 32 visualizações Partilhar

IAC: “ISTO É ARTE!” COM PAULO ROMÃO BRÁS

Dando continuidade à divulgação de artistas contemporâneos, o Instituto Açoriano de Cultura (IAC) traz a Angra, no âmbito do Isto é Arte!, a exposição “Coisa perene entre a casa e o crânio”, do artista Paulo Romão Brás, a inaugurar no dia 13 de setembro, pelas 18h30, na galeria do IAC.

Segundo o escritor João Eduardo Ferreira «No conjunto de obras que o autor intitulou Coisa Perene entre a Casa e o Crânio existe uma substância exemplar. Paulo Romão Brás desestrutura e volta a reorganizar não para simplificar ou edificar mas para exemplificar. Como reordenando as peças do Lego com a intenção de introduzir no dicionário de antónimos uma nova palavra gráfica ou um recorte simbólico inesperado. Exemplos (ou paradigmas) que se opõem entre si para vermos mais claro.

São contornos curvos ou rectilíneos do presente de certos objectos reais que deixam o olhar do leitor entrar num ‘país das maravilhas’ futurista.

“Descubra o que está por trás!” A frase que nos guiará nesse jogo infantil do troca-pernas-e-cabeças da estética formal entre as linhas, as formas e as cores de Paulo Romão Brás».

O artista nasceu em Portalegre mas cedo trocou o ondular das searas alentejanas por uma vista sobre as suaves ondas do Tejo. Lisboa é a cidade onde vive, trabalha e onde fez a sua formação pela Escola Superior de Comunicação Social e pelo AR.CO. A sua obra foi mostrada em exposições individuais, de onde se destacam As Sombras Errantes/Galeria Má Arte, Aveiro (2014), I Love You, Oh, You Pay My Rent/Rogue Space Gallery (Chelsea), New York (2012), Labirinto, Espaço3, C.C. Alegro, Alfragide (2009), Deux Artistes en Dialogue, Galerie Ellecnite, Paris (2005) e colectivas como Underover, Cidadela Art District, Cascais (2014), A.S. # 1-3, C. C. Alegro, Setúbal (2014), Maneiras de Respirar Ausências, Festival de Poesia de Coimbra (2014), Stills, Ivity Empty Room, Lisboa (2013), Tiresias - Vídeos de Artistas Made In Portugal, Centro Cultural de España, Montevideo – Uruguai (2012), In Connection, Pav. 28 / Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa (2009), No Connection, MNHN / Sala do Veado, Lisboa (2008), Objecto: Simulacro, Hospital Júlio de Matos / Pav. 24, Lisboa (2007), Stigmata, MNHN / Sala do Veado, Lisboa (2006), Interpretações, Museu da Cidade / Pavilhão Preto, Lisboa (2006) e Videomix, La Casa Encendida, Madrid (2006). Participou e colaborou em várias revistas: Nada, Magnética, Op., Número e Ópio. Foi fundador e Editor das Revistas Base, Número e mais recentemente d’A Morte do Artista. Foi membro do Grupo 21 ½ : Plataforma Independente de Transgressão e do Grupo Zart21. Nos últimos anos tem colaborado em diferentes projetos como músico e compositor. Prepara agora o segundo volume de “Dark Parables”, um livro de artista, para o qual convida escritores para, com textos, ilustrarem as suas obras.

CB/IAC/JP