Jornal da Praia

PUB

ALMA E MEMÓRIA

Terça, 27 de Agosto de 2019 em Opinião 35 visualizações Partilhar

ALMA E MEMÓRIA

Foi um 'home' do Ramo Grande que veio mostrar a um Angrense de 75 anos como era a Angra antes de ele ter nascido, ou seja, antes de1944.

Foi um passeio fenomenal, com revelações muito interessantes e que colmataram dúvidas e interrogações antigas. Por exemplo, por que é que não havia uma Praça Nova, se há uma que é velha.

A gente toma consciência do mundo que nos rodeia e pensa que tudo começou nesse entonce. Mas não é assim.  Vamo-nos dando conta que as coisas tiveram o seu início e foram-se transformando; ouvimos um relato, vemos uma fotografia, e tomamos consciência do 'antigamente', enfim, da História.

Pois o passeio pela história de Angra foi-me proporcionado precisamente por um historiador, o Dr. Carlos Enes, através do seu mais recente livro – ANGRA DO HEROÍSMO – Alma e Memória – uma edição do município angrense.

Recheado de fotografias antigas e suas contrapartidas atuais, o leitor ganha uma perspetiva da evolução da cidade e Álvaro Homem, dos Corte Real, de D. António, de Ciprião, de D. Afonso, o sexto, de D. Pedro, o quarto.

Um passeio pela História é um excelente antídoto contra esse 'Alzheimer cultural' a que estamos fatalmente condenados se se não alterar o conceito de educação por que nos devemos reger enquanto povo. É sabido que quem não sabe de onde veio, tem grandes dificuldades em perceber onde está e, desgraçadamente, não saberá para onde ir.

É provável que o Dr. Carlos Enes, ilustre filho da Vila Nova, já tenha nos seus projetos obra idêntica sobre a Praia da Vitória, tanto mais que a cidade foi sede da primeira capitania da ilha. Certamente, a edilidade praiense não deixará de apoiar a edição.

João Rego

NE: Texto originalmente publicado na edição impressa n.º 550, de 02 de agosto de 2019