Jornal da Praia

PUB

FESTAS DA PRAIA: 10 DIAS DE DANÇA, GLAMOUR E SEDUÇÃO

Segunda, 29 de Julho de 2019 em Entrevista 384 visualizações Partilhar

FESTAS DA PRAIA: 10 DIAS DE DANÇA, GLAMOUR E SEDUÇÃO

Organizadas desde 2013 pela Cooperativa Praia Cultural (CPC), as Festas da Praia enriquecem-se anualmente com o contributo de uma personalidade da sociedade civil convidada para assumir a direção artística da marcha oficial, cortejo de abertura e desfile infantil. Este ano, o convite foi endereçado à jovem Sara Barcelos, 37 anos, administrativa e que acumula uma longa experiência de colaboração voluntária na organização das Festas da Praia.

As restantes atividades são da responsabilidade da CPC, num modelo organizativo que este ano, resultante de uma nova aposta da Câmara Municipal da Praia da Vitória e destinado a garantir a sustentabilidade financeira ao evento, ensaia um novo modelo de gestão administrativa e financeira, concessionando o espaço “Dreamzone” e a organização da Tourada de Praça a entidades externas à autarquia.

Em jeito de antevisão desta Praia que viverá a partir de hoje e até 12 de agosto “ao sabor da dança”, fomos ao encontro da Diretora Artística, Sara Barcelos e do presidente da CPC, Carlos Armando Costa, para esta entrevista conjunta que passamos a apresentar:

Jornal da Praia (JP) – O que a motivou a aceitar o convite para ser Diretora Artística das Festas da Praia 2018?

Sara Barcelos (SB) – Há muito que tenho este espírito voluntário para com as Festas da Praia e aceitar este desafio foi só mais um passo neste sentido.
É verdade que apoiar na organização é diferente de estar à frente de uma equipa a tomar decisões. Faço com naturalidade, espírito de equipa e a vontade natural que tenho em abraçar desafios. Enfim, basta ser pela Praia...!

JP – Como tem sido dirigir todas estas atividades e conciliá-las com a sua vida pessoal e profissional?

SB – De início foi um pouco complicado conciliar tudo, mas depois de ter junto a mim “amigos” que fazem parte desta organização tudo se tornou muito mais fácil de gerir! É claro que nem sempre correu como esperado, mas isto também faz parte!

JP – O cortejo de abertura a ocorrer amanhã, constitui ano após ano um dos momentos altos das festividades. Quantos carros e figurantes desfilarão e que mensagens pretende o mesmo transmitir?

SB – Este ano, pela 1ª vez, deixamos de ter um desfile de abertura e passamos a ter quase como que um “espetáculo” de abertura, com os carros a funcionarem como palcos de dança, canto e movimento! Serão três carros, dois deles com duas frentes! Teremos 5 estilos diferentes de dança e no conjunto o espetáculo contará com cerca de 60 figurantes.
Estou absolutamente convencida que será um magnífico espetáculo com muita dança, glamour e sedução!

JP – As Festas da Praia deste ano decorrem “Ao Sabor da Dança”. Ao longo destes 10 dias, para além do cortejo de abertura, que outras iniciativas estão preparadas para dar à Praia um sabor de dança?

Carlos Armando Costa (CAC) - Para além do chamado cortejo de abertura que este ano será um verdadeiro espetáculo “Ao Sabor da Dança”, para fazer jus ao tema, vai também haver um desfile de escolas de dança que farão atuações ao longo do percurso, o que acontecerá pela primeira vez nas Festas da Praia.
É preciso não esquecer que normalmente a dança está presente em diversas atividades das Festas, como no Folclore, nas Marchas e até nos concertos, sendo a dança uma forma  de expressão corporal e de comunicação.

JP – Outro dos momentos altos das festas é o desfile infantil. Qual a temática do mesmo, como se desenrolará e por quantos carros e figurantes é composto?

SB – O desfile Infantil tem como tema: “ Era uma vez...” e cada carro contará a sua própria historia! Este desfile é constituído por 3 carros, 1º “Os Vingadores Lego”, 2º “A Masha e o Urso” e 3º “Patrulha Pata”. Terá cerca de 40 figurantes! Haverá muita animação e diversão!!!

JP – Tem sido comum nas edições anteriores um dia dedicado ao desfile e atuação das tradicionais Danças de Carnaval. Este ano este dia não consta do programa. Porquê?

CAC - O Carnaval Terceirense é uma manifestação de teatro popular puro e tem a sua vivência própria na época de Carnaval. Contudo tratando-se de uma manifestação genuinamente desta ilha, poderia fazer algum sentido fazer uma noite de espetáculo com a atuação de uma dança de espada, um bailinho e uma dança de pandeiro. Teríamos assim uma mostra do nosso carnaval especialmente para os que nos visitam nesta altura do ano, mas tal intenção não foi possível, porque por razões diferenciadas as danças que convidámos não conseguiram marcar presença.

JP – A quarta-feira é destinada ao desfile das populares marchas de São João. Quantas e quais as marchas a desfilar?

CAC – As Festas da Praia são uma derivação das Sanjoaninas que começaram na Praia em 1978, organizando o ano alternativo das de Angra que eram bienais. Tratando-se de um convite cujo objetivo era revitalizar as Festas da Cidade, como então se dizia pelos meios rurais, os praienses aceitaram o desafio e logo no início dos anos 80 criaram o dia das marchas de S. João que ao longo das seguintes edições, tanto na Praia como em Angra, tornou-se no dia mais popular e atrativo das Sanjoaninas, até à atualidade.
Por deliberação da Câmara de Angra em junho de 1990 em que transmitiu que iria assumir as Festas de S. João todos os anos, a Praia ainda organizou uma edição das Sanjoaninas em simultâneo com Angra no mesmo ano. Chegou-se depois à conclusão que as Festa na Praia teriam que deixar de ser as Sanjoaninas e deslocar as suas datas para incluir o 11 de Agosto. Passou-se então a designar “Festas da Praia”.
Embora tenha sido a Praia a criar o melhor dia das Sanjoaninas não faz qualquer sentido criar um dia de S. João em Agosto, por isso foi decidido fazer-se um desfile de marchas populares com as marchas do concelho e a oficial de Angra, a convite.

JP – Quais são as expetativas para mais uma edição das Festas da Praia que abre portas logo mais com a abertura pelas 18:00 da XIX Feira de Gastronomia do Atlântico?

CAC – A Feira de Gastronomia é sem dúvida um dos pilares das Festas da Praia e tem sofrido constantemente melhoramentos no sentido de uma melhor oferta e segurança, adequadas às exigências que se impõem.
O certame a cargo da Escola Profissional da Praia da Vitória dá-nos a garantia de que é uma organização dirigida por profissionais do sector que nos garantem uma visão adequada dos diversos aspetos da Feira de Gastronomia. Esta é a décima nona edição e como habitualmente temos novas participações e algum reforço de presenças regionais uma vez que o crescimento do turismo obriga-nos a potenciar a oferta dos nossos produtos e, bem como, a nossa cozinha tradicional.

JP – Por fim, Sara, quais as marcas que deixa da sua direção artística no evento?

SB – Eu não desenvolvi o meu trabalho, ou melhor, a minha equipa não o fez com o intuito de este vir a ser uma referência. Foi feito sim tendo como principal objetivo proporcionarmos a melhor Festa para a Praia da Vitória e para aqueles que a visitarem entre o dia 3 e o dia 12 de agosto. Para mim a Praia está em primeiro lugar. Todas as restantes marcas deste trabalho se surgirem, surgirão por acréscimo.

JP

NE: Entrevista originalmente publicada na edição impressa n.º 526, de 03 de agosto de 2018.