Jornal da Praia

PUB

ANGRA RELEMBRA REALEZA ESQUECIDA: GUNGUHANA E COMPANHEIROS

Quinta, 25 de Julho de 2019 em Atualidade 77 visualizações Partilhar

ANGRA RELEMBRA REALEZA ESQUECIDA: GUNGUHANA E COMPANHEIROS

Este sábado tem lugar o primeiro evento integrado no ciclo de conferências evocativo da chegada de Gungunhana a Angra do Heroísmo há 123 anos, organizado pela edilidade angrense, o Instituto Histórico da Ilha Terceira e o Regimento de Guarnição N.º1.

O evento – “Relembrando Gungunhana e os seus companheiros de exílio” – tem início pelas 10:00, de sábado, 27 de julho, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, e conta com a presença de várias entidades e personalidades portuguesas e moçambicanas, entre as quais o embaixador de Moçambique em Portugal, Joaquim Bule, e a participação, na qualidade de conferencistas, do realizador Mosco Kawendo, do curador do Forte de Maputo, Moisés Timba, do diretor do Museu Militar de Lisboa, Coronel Luís Albuquerque, e do historiador Jorge Forjaz.

Mosco Kawendo, realizador do filme “Forgotten Royalty” (Realeza Esquecida) cuja estreia internacional está marcada para as 18:30 no Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo (CCCAH) no final dos trabalhos, falará sobre o papel do cinema como canal condutor da História. Moisés Timba irá debruçar-se sobre a prisão do rei africano em Chaimite e a sua transferência para Lisboa. Luís Albuquerque irá tratar do período entre a estadia em Lisboa e o processo de deportação para a Terceira. E, finalmente, caberá a Jorge Forjaz dissertar sobre a vida de Gungunhana e restante comitiva na ilha.

Na parte da tarde, o Professor Carlos Enes irá relembrar a chegada de Gungunhana num passeio evocativo que tem início pelas 14:30 com saída do Pátio da Alfândega e que, simbolicamente, reconstituirá os primeiros passos do mesmo percurso da comitiva africana, do Cais da Alfândega à Rua Direita e que depois se encaminhará para a Praça Velha, local da exposição temática referente ao acontecimento.

O ponto alto do programa é o descerramento da placa evocativa da efeméride na Casa da Guarda da Fortaleza de São João Baptista, que serviu de residência aos exilados encabeçados por Gungunhana.

A encerrar este primeiro evento terá lugar, então, a estreia internacional do documentário parcialmente filmado na Terceira “Forgotten Royalty”.

O registo para assistir aos trabalhos de sábado poderá ser feito online no site da autarquia (www.cmah.pt) ou no próprio dia, nos Paços do Concelho.

Os interessados em assistir ao filme, seja no dia da estreia a 27 de julho, pelas 18:30, seja no dia 28 de julho, sábado, pela mesma hora, deverão levantar o seu bilhete/convite, gratuito, na bilheteira do CCCAH nos dias e horário habitual.

Um programa diversificado e enriquecedor que pretende retirar do esquecimento os seus protagonistas e ajudar a reescrever a História, contando ambos os lados, com justiça e equidade, tornando mais transparente e conhecida esta página da nossa memória coletiva, que é dos povos de Moçambique e de parte do Zimbabué, mas que também é do país, e que se tornou de uma forma muito particular, especialmente nossa, como o prova a descendência que Roberto Zixaxa deixou em Angra do Heroísmo.

GC-MAH/JP