Jornal da Praia

PUB

MEDITAÇÃO E ATENÇÃO PLENA

Domingo, 07 de Julho de 2019 em Opinião 95 visualizações Partilhar

MEDITAÇÃO E ATENÇÃO PLENA

Para além do olhar inteligente que referimos no Cantinho 204 acredita-se hoje em dia que dependente do tipo de animal, e em grau diferenciado os animais, nomeadamente as vacas, pensam, têm sentimentos, ou seja, são capazes de se emocionar e até de aproveitar a vida. Das vacas até se diz que são fofoqueiras, passam às vezes por momentos tristes, têm amigas e inimigas, e são capazes de guardar rancor por diversos anos (Faria, 2018). No entanto não há conhecimento que existam animais que sejam capazes de meditar, de habituar a mente a quando necessário, e frequente tanto quanto possível, se empenhar em objectivos que sejam correctos e compensadores, em que não haja sofrimento, e em que a pessoa se regule pela sua consciência.

A meditação tem sido considerada por algumas celebridades o melhor exercício para o cérebro, na medida em que desperta uma reacção que é o oposto da resposta de stress, por se associar com a diminuição significativa dos sintomas psicológicos e com o aumento dos sentimentos de relaxação. De acordo com Murphy (1996) pode ser adoptada uma versão em que se escolhe para a focalização mental, em vez das palavras mantra, controlo, proteção, aquilo que a pessoa de fé sentir apropriado. Isto deve ser repetido sempre após se contrair um músculo se permitir que ele relaxe, em simultâneo com o sentimento da diferença ente a tensão e o estado relaxado. Ao sistematicamente a pessoa se mover pelos maiores grupos de músculos do corpo é possível tornar-se proficiente no reconhecimento da tensão de cada músculo e no alívio compensador desse estado.

Na outra versão, e seguindo o mesmo autor, a repetição de um som não está sistematicamente ligada a cada expiração, sendo permitido a cada um proceder ao seu ritmo, não obstante poder ser ensinado por um qualificado instrutor. Enfim, diferente da relaxação progressiva, os métodos da meditação focalizam-se mais na quietude mental ou na emoção do que na relaxação física ou mental. E isto é fundamental para as funções executivas, em que frequentemente se exige um maior intervalo entre o impulso e a acção.

Por isso não se pode deixar de realçar a importância da prática da meditação tipo Mindefulness, também conhecida por Consciencialização, ou Atenção Plena, em que há provas que aquela quietude, precisamente porque se tem visto que com a sua prática é possível o aumento da capacidade de observar os nossos processos mentais, e consequentemente de limitar os acidentes perturbadores. Justifica-se assim que se apresente alguns pormenores da sua prática, seguindo de perto Hanh (2018). Assim, segundo este autor, a nossa verdadeira casa não está no passado, nem no futuro, mas sim no aqui e agora.

Quando se respira e se está consciente da inspiração, toca-se o milagre de estar vivo. E estar vivo é não ter a mente presa em preocupações, no medo, na raiva, nos seus arrependimentos, no passado e no futuro, esquecendo-se de viver a vida profundamente como ela merece. Enfim, o fundamental é ser capaz de dar os passos essenciais para se chegar ao estado de alerta, ao nosso verdadeiro lar, que como se compreende não é o passado, nem o futuro, mas sim o momento presente.

Os passos do exercício de Atenção Plena são simples. Primeiro: após estarmos assentes confortavelmente importa concentrarmos na respiração, identificando a inspiração e a expiração. Quando se inspira sabe-se o que isso é, e igualmente quando se expira. Segundo: seguir a inspiração e a expiração durante todo o percurso, quer seja longo ou curto, do princípio ao fim, sem interrupções. Na continuidade do treino, e sem esforço, a respiração se tornará mais lenta e profunda, ao mesmo tempo que se sente o ar a sair pelas narinas e o movimento do abdómen, a subir e a descer.

Terceiro: tornar-se consciente do seu corpo e da mente, que são coisas inseparáveis. Isto acontece quando se inspira, e também quando se expira, O respirar consciente gera a energia para se reconhecer o corpo, a pessoa, com paz e harmonia. Mas há mais.

Referências:

Hanh, T. N. (2018). The Miracle of Mindfulness: An Introduction to the Practice of Meditation. Boston: Beacon Press.
Faria, F. (2018). Salvado em 10 Dec. 2018, de Fonte: Eu Sem Fronteiras; Tema: Animais. Website: https://www.eusemfronteiras.com.br/os-animais-pensam-e-    tem-sentimentos/.
Murphy, L. R. (1996). Stress management techniques: Secondary prevention of stress. Em Schabracq, M. J., Winnubst, J. A. M. & Cooper, C. L., Handbook of Work and Health Psychology. Chichester: John Wiley & Sons.

Aurélio Pamplona

NE: Texto originalmente publicado na edição impressa n.º 548, de 05 de julho de 2019.