Jornal da Praia

PUB

ALEXANDRE GAUDÊNCIO CONSTITUÍDO ARGUIDO NO ÂMBITO DA OPERAÇÃO “NORTADA” DA PJ

Terça, 02 de Julho de 2019 em Atualidade 85 visualizações Partilhar

ALEXANDRE GAUDÊNCIO CONSTITUÍDO ARGUIDO NO ÂMBITO DA OPERAÇÃO “NORTADA” DA PJ

Um comunicado de imprensa da Polícia Judiciária, emitido hoje, informa que aquela força de investigação policial, através do Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada e com a colaboração da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, no âmbito de inquérito tutelado pelo DIAP de Ponta Delgada, “desencadeou no dia de hoje a Operação ‘Nortada’, pela existência de fortes suspeitas da prática dos crimes de peculato, prevaricação, abuso de poder e falsificação de documentos, em que são intervenientes uma Câmara Municipal e diversas entidades de direito privado”.

A operação desenvolve-se na Câmara Municipal da Ribeira Grande, em São Miguel e também numa empresa no continente na área da grande Lisboa, com a realização de buscas às instalações da autarquia, da empresa, residências e viaturas, tendo em vista a apreensão de elementos com interesse probatório.

No âmbito desta operação foram constituídos vários arguidos, entre os quais o presidente da autarquia e também presidente do PSD/Açores, Alexandre Gaudêncio, pela suspeita de reiterada violação de regras de contratação pública, de urbanismo e ordenamento do território, com presumíveis favorecimentos de empresários e entidades de direito privado, com prejuízos para o erário público.

Em conferência de imprensa, esta tarde, enquanto ainda decorriam buscas policiais nas instalações camarárias, Alexandre Gaudêncio manifestou-se de “consciência tranquila” colocando à consideração do partido o eventual abandona da liderança regional.

O líder do PSD/Açores que é também presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, cargo sobre o qual recaem as suspeitas policiais, mostrou-se absolutamente “convicto que todas as opções” que tomou enquanto edil “estão dentro da legalidade”.

Na ocasião, Alexandre Gaudêncio não deixou de lamentar que estas “investigações tenham como base queixas anónimas”, acusando o Partido Socialista de estar por detrás das mesmas, acrescentando, “o objetivo dessas queixas é bem evidente aos olhos das pessoas”, para de seguida concluir, é “querer derrubar o principal líder da oposição”.

Alexandre Gaudêncio garantiu ainda aos jornalistas, que na sequência da operação em  curso, a câmara a que preside tem “colaborado com tudo aquilo que tem sido pedido, de forma transparente e aberta”.

JP