Jornal da Praia

PUB

PRAIA DA VITÓRIA: ÁREA GEOGRÁFICA DA CIDADE

Quarta, 26 de Junho de 2019 em No Concelho 289 visualizações Partilhar

PRAIA DA VITÓRIA: ÁREA GEOGRÁFICA DA CIDADE

Muitos são os praienses que confundem a área geográfica da cidade da Praia da Vitória com os limites fronteiriços da freguesia de Santa Cruz, mas, em boa verdade, nem toda a freguesia é cidade e esta até compreende parte de freguesias vizinhas. Quando popularmente se designa como porto da Praia da Vitória à infraestrutura portuária existente a sul da baía, contrariamente ao que muitos eventualmente possam pensar, não se comete qualquer imprecisão geográfica, pois, de facto, o mesmo está localizado na área geográfica correspondente à cidade da Praia da Vitória.

A imagem à esquerda deste articulado consta do Jornal Oficial número 24, I Série, de 7 de julho de 1981, onde se publicava o Decreto Regional n.º 7/81/A, de 20 de junho, que eleva à categoria de cidade a então vila da Praia da Vitória. Nesse mesmo decreto, o artigo 2.º, descreve exaustivamente as áreas e respetivos limites da recém-criada cidade, ilustrando a descrição com um mapa onde se traça a negro carregado as suas fronteiras para melhor compreensão de toda a sua área.

Da observação da imagem é fácil perceber que o território citadino não engloba toda a freguesia de Santa Cruz e incorpora parte das freguesias de Fontinhas, do Cabo da Praia e da entretanto criada freguesia do Porto Martins. Conclui-se, pois, que a área geográfica da cidade da Praia da Vitória é menor que a da freguesia de Santa Cruz, pese embora, englobe parte de freguesias confinantes.

Dessa configuração resultam algumas curiosidades:

A imagem do Imaculado Coração de Maria, no miradouro do Facho, inaugurada a 26 de dezembro de 1999, pelo Bispo da Diocese D. António de Sousa Braga, na sequência da escolha em 1983, pelo povo da cidade do Imaculado Coração de Maria para padroeiro espiritual (ver texto “Padroeiro da Praia da Vitória”, abaixo), curiosamente, encontra-se localizada fora do perímetro citadino, assim como toda a Serra do Facho, Amoreiras, Santa Rita, Posto 1 e a igreja de Santa Luzia;

Quem desce a estrada 25 de Abril em direção à rotunda do Bairro Nossa Senhora de Fátima, as moradias à esquerda localizam-se na cidade da Praia da Vitória, já as da direita, apenas na freguesia de Santa Cruz;

Quem caminhando no Caminho Joaquim Alves em direção às Fontinhas, virar à esquerda para o Vale Farto, atravessa a freguesia das Fontinhas, mas continua a circular na cidade da Praia da Vitória;

Parte da Casa da Ribeira e do Belo Jardim estão na malha urbana da Praia da Vitória, mas a Canada dos Pastos e os Álamos dos Bravos fora dela;

O porto oceânico tendo uma das suas entradas pela freguesia do Cabo da Praia está efetivamente implementado na área geográfica da cidade da Praia da Vitória;

A igreja do Cabo da Praia, à direita, para quem segue pela estrada de Santa Catarina em direção ao Caminho do Meio, encontra-se fora da área territorial da cidade, já à esquerda, o império, a casa do povo e a zona Industrial integram a zona citadina;

Concluindo, é correto afirmar: No topo da Serra do Facho, na freguesia de Santa Cruz, a imagem do Imaculado Coração de Maria abençoa e protege a cidade da Praia da Vitória; o porto comercial da Praia da Vitória; o império do Cabo da Praia na cidade da Praia da Vitória; a zona industrial da Praia da Vitória.

JP

NE: Adaptação de artigo originalmente publicado na edição impressa n.º 546, de 07 de junho de 2019.

PADROEIRO DA PRAIA DA VITÓRIA

A Praia da Vitória, na ilha Terceira, Açores, é uma jovem cidade, pequena mas bela nascida a 20 de junho de 1981.

Em 1983, o povo desta cidade, muito devoto de Nossa Senhora de Fátima, escolheu para seu Padroeiro Espiritual, o imaculado Coração de Maria e propôs-se levantar-lhe um monumento. O local escolhido foi a Serra do Facho, num terreno oferecido por José Gabriel Toledo.

O Pároco de então nomeou uma Comissão que logo começou a angariar fundos para o efeito. De toda parte chegaram dádivas, daqui, do Canadá e dos Estados Unidos da América. O esboço do projeto, feito pelo professor engenheiro Costa Lobo, era ambicioso: um monumento de 24 m de altura, sendo 16 m para a peanha e 8 m para a estátua. Volvidos 16 anos o sonho tornou-se realidade. A estátua não foi em mármore mas em bronze e de 6 m.

Depois de tantos trabalhos, sacrifícios, generosidade, confusões e mal entendidos, a inauguração do monumento foi a 26 de dezembro de 1999.

Perante as autoridades concelhias, regionais, alguns sacerdotes e muitos fiéis, o Sr. Bispo da Diocese D. António Braga, abençoou o monumento, dizendo: "Aqui fica a Imagem do Imaculado Coração de Maria a abençoar a cidade que a escolheu como sua padroeira, porque quer continuar a dar lugar a dar lugar a Cristo, na vida pessoal, familiar e comunitária. Este monumento não é, pois, apenas um lugar do turismo, é o testemunho da fé de uma comunidade, que sabe, que sem Maria não há Igreja. É o testemunho da fé de um povo, que sabe que sem Maria não há reino de Deus..."

Por fim, o Dr. António Neves Ribeiro, presidente da última Comissão, agradeceu à Câmara Municipal, a construção da peanha, os caminhos de acesso e os arranjos circundantes; às autoridades civis e religiosas presentes; aos membros das sucessivas Comissões; às pessoas presentes; enfim a todos os que contribuíram para que hoje fosse possível este evento.

Parabéns, Praia da Vitória, serás sempre a "Cidade da Virgem"

"Por Fim, o meu Imaculado Coração Triunfará"

NE: Reprodução do texto do Pe. Cândido Falcão in "Voz da Fátima" 78 (930) 13 de Março 2000, p. 4