Jornal da Praia

PUB

O Entrudo da Ilha Terceira

Sexta, 08 de Março de 2019 em Editorial 383 visualizações Partilhar

O Entrudo da Ilha Terceira

O Carnaval – carnelevarium do Latim – significa a véspera da quarta-feira de cinzas, quando principia a Quaresma e abstinência de carne, que a Igreja Católica Apostólica Romana proibia os fieis de ingerirem carne durante a Quaresma, e tornou-se num conjunto “de festividades populares que ocorrem em diversos países e regiões católicas”, espalhadas pelo mundo, onde a música, a dança e a folia vibram entre o povo.

As festas do Carnaval na nossa ilha ocupam um lugar de prestígio nas festividades populares para as nossas gentes, e é sem dúvida uma das maiores festas populares da Ilha Terceira e dos Açores, alastrando-se às nossas comunidades de emigrantes espalhadas pelo mundo, onde existem Terceirenses celebra-se o Carnaval.

As características do Carnaval Terceirense são únicas no país e têm longa tradição, as danças e os bailinhos são representações teatrais de carisma popular “de coreografias simples e pouco variadas, que também actua como coro cantado, e acompanhada por músicos (tocadores) de cordas e de instrumentos de sopro” sob a direcção do mestre e ou puxador, onde a sátira politica, social e religiosa é uma constante dos assuntos apresentados ao público após vários períodos de ensaio.

Este ano durante o período carnavalesco participaram 60 grupos, em quarenta palcos, espalhados por esta Ilha de Jesus.

Norberto Messias, tem defendido muito bem, e por isso deve ser apoiado, a necessidade de se estudar uma candidatura do Carnaval da Ilha Terceira ao Guinness, e se tal suceder, serão imensos os reflexos positivos para o turismo da nossa terra.

O Carnaval Terceirense é um verdadeiro teatro popular celebrado espontaneamente pelo povo e para o povo, e que mantém a sua essência primária, apesar de ter atravessado algumas vicissitudes ao longo dos tempos, esta forma de teatro popular não é estática, tem evoluído eficazmente, ganhando raízes profundas para a sua sustentabilidade no tempo.

Em suma, deve dizer-se que inequivocamente cabe a todos os Terceirenses a defesa da especificidade do seu Carnaval, na verdade já defendia José Noronha Bretão, um dos maiores estudiosos destes assuntos, que as danças de Carnaval da Ilha Terceira são “ o maior festival de teatro popular do mundo”.

O Diretor
Sebastião Lima
diretor@jornaldapraia.com