Jornal da Praia

PUB

2019, AS ELEIÇÕES E AS "FAKE NEWS"

Quinta, 14 de Fevereiro de 2019 em Opinião 528 visualizações Partilhar

2019, AS ELEIÇÕES E AS "FAKE NEWS"

Antes de mais, um cumprimento especial a todos os leitores do Jornal da Praia e desejos sinceros de um ótimo ano com o que é principal – paz, saúde e alegria –, mas também repleto de realizações pessoais e profissionais.

Desde 2016, ano em que Donald Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos, que se vem despertando a consciência para o fenómeno das fake news e também da falta de regulação e controlo da internet e das grandes plataformas digitais. Em 2018 o escândalo da venda de dados pessoais de utilizadores do Facebook por essa mesma plataforma levou a que o mundo passasse a estar ainda mais atento a toda a “vida digital” e não é por acaso que vimos Mark Zuckerberg, CEO dessa rede social, sentado no Senado norte-americano a prestar contas sobre o poder e influência negativos que as redes socias – no caso, a que representa – podem ter na vida de todos, seja na alimentação da violência política ou no acentuado ódio e desrespeito pelas minorias, por exemplo.

Este ano, já em maio, temos eleições europeias e, com isso, a certeza de que este será um tema discutido durante, pelo menos, todo o seu primeiro semestre, até porque a União Europeia vai lançar um conjunto de leis para regular e proteger a privacidade online e também porque as fake news – e a sua rápida propagação pelas redes sociais – vão, certamente, afetar a campanha eleitoral de todos os partidos, especialmente dos maiores.

Em Portugal, acredito que a atenção e até intervenção para esta realidade será acentuada até ao final do ano, isto porque outubro traz-nos as eleições para a Assembleia da República – e, portanto, formação de novo Governo – e o país onde atualmente governa a “Geringonça” não é exceção ao fenómeno das fake news.

Atualmente alguns dos sites nacionais de fake news mais relevantes e que todos nós já pudemos, pelo menos a partir de um deles, observar partilhas por parte de amigos virtuais são os seguintes: A Voz da Razão, Altamente, Bombeiros Portugueses, Bombeiros24.pt, Direita Política, Jornal Diário, Jornal Q, Luso PT, Magazine Lusa, Noticias 24, Portugal Glorioso, Tá Feio, Tuga Press ou Vamos lá Portugal. Alguns dos nomes destes sites são logo à partida motivo de desconfiança para os mais informados, certo é que um grande número de pessoas nem procura saber a origem das falsas notícias criadas por essas plataformas e acaba simplesmente por propagá-las pelas redes sociais criando assim o fenómeno em questão.

Este problema merece toda a atenção e preocupação, mas também rápida intervenção por parte do poder político, porque já não há dúvidas de que nos leva, a todos, por caminhos pouco seguros a todos os níveis. Esperemos as medidas concretas que surgirão este ano neste sentido.

Praia da Vitória, 30 de dezembro de 2018.

Rodrigo Pereira

NE: Texto originalmente publicado na edição impressa n.º 537, de 25 de janeiro de 2019.