Jornal da Praia

PUB

CDS/ANGRA LAMENTA FALTA DE MÉDICO NOS ALTARES E RAMINHO

Terça, 22 de Janeiro de 2019 em Atualidade 97 visualizações Partilhar

CDS/ANGRA LAMENTA FALTA DE MÉDICO NOS ALTARES E RAMINHO

O CDS de Angra do Heroísmo considera que a situação de falta de médicos de família em Angra do Heroísmo é cada vez mais grave, refletindo-se fortemente nas populações.

“O presente caso, que nos foi denunciado pela população, refere-se às freguesias dos Altares e do Raminho, que estão neste momento sem médico assistente, uma vez que o médico lá colocado abandonou as suas funções, tendo sido transferido para outra freguesia, sem que tenha sido emitido qualquer tipo de aviso prévio à população” – referiu Alonso Miguel.

O líder do CDS de Angra do Heroísmo realçou o facto de “neste momento, as populações dos Altares e Raminho estarem sem assistência médica, o que obriga todos os utentes a deslocarem-se ao centro de Saúde de Angra do Heroísmo”, sendo que, tal situação, acarreta “elevados prejuízos, sobretudo, para a população mais idosa”.

Para Alonso Miguel, líder do CDS de Angra do Heroísmo, “a questão que se coloca neste momento é se a Secretaria Regional da Saúde autorizou a transferência do médico assistente que estava colocado nos Altares para outra freguesia e, se sim, quando é que será destacado um novo médico assistente para dar assistência às freguesias dos Altares e do Raminho, atendendo a que, para além da distância à sede do concelho e ao centro de saúde, se trata de uma população envelhecida e muitas vezes com mobilidade reduzida, merecendo por isso um nível de atenção diferenciado”.

Segundo Alonso Miguel, “esta situação é absolutamente lamentável e bem reveladora da forma descuidada em como a Saúde está a ser gerida, neste caso particular, na ilha Terceira”, tendo lembrado que o Concelho de Angra do Heroísmo é um dos mais afetados pela falta de médicos de família nos Açores, sendo que a Secretaria Regional da Saúde continua sem ter capacidade para resolver este problema.

A estrutura do CDS de Angra do Heroísmo relembra que, em 2016, o Secretário Regional da Saúde garantiu que em 2018 todos os Açorianos teriam médico de família atribuído, mas isso, infelizmente, não se verificou, sendo que em Angra do Heroísmo, de acordo com Alonso Miguel, “a situação até tem piorado em vez de melhorar, o que é lastimável”.

GC-CDS-A/JP