Jornal da Praia

PUB

Ano Novo

Sexta, 11 de Janeiro de 2019 em Editorial 478 visualizações Partilhar

Ano Novo

A vida é um andar de anos, que sucedem uns aos outros, desde o nascimento até à morte, por vezes com espaços temporais débeis e breves, “as coisas depressa nascem, depressa se acabam: a rosa numa manhã nasce, numa tarde fenece” e ao entrarmos no novo ano, numa nova meta, numa nova fase, com novos anseios e desejos, na perspectiva de uma vida melhor, mais livre e feliz a nível familiar e social, que terá de ser também momento de reflexão e de avaliação do ano que passou, afim de aprendermos a melhorar as nossa condutas, contribuindo para a construção de uma sociedade melhor, mais sã, solidária e justa.

Infelizmente nem tudo ocorre como desejamos, muitas vezes repetem-se os erros, os infortúnios ressuscitam e as melhorias almejadas com vista a obtermos o bem de tudo e de todos, nem sempre são concretizáveis e alcançadas, porque a mudança como “sinal de existência” dos seres e das coisas, verdade imutável que não devemos ignorar sob pena da destruição do homem e do mundo que o envolve, que urge evitar trilhando caminhos correctos da verdade, que é genuína, sendo sempre viável ajudar as pessoas a encontrarem forma de se tornarem melhores.

A história mostra-nos através de inúmeros exemplos que andamos longe de conquistarmos a felicidade, “é extremamente fácil mostrar que a imensa perturbação do mundo que temos diante de nós não poderá ser resolvida pela economia politica”, pois na verdade o economicismo promove desigualdades abissais, há cada vez mais pobres e os ricos estão mais poderosos, “as 62 pessoas mais ricas do mundo têm tanto dinheiro como 3,6 milhões dos mais pobres”, os empregos além de incertos são mal pagos, o trabalho continua sempre mais taxado do que o capital, por isso não admira que proliferem movimentos populistas, quer de extrema esquerda, quer de extrema direita, e por culpa em primeiro lugar dos partidos políticos tradicionais que estão a degenerar-se, com atitudes partidocráticas e corruptíveis, gerando muito descredibilidade perante o povo que pensa, que por causa de tais politicas não são respeitados os seus verdadeiros sentimentos.

Devemos exigir mudanças para que os partidos, os políticos, e os governantes enveredam por políticas concretas e viáveis, terminando assim com o sofrimento gerado por políticas erradas, e não devemos recear a mudança desde que seja para nos dar sentido à vida e protegermo-nos do caos.

Nesta época que ainda é natalícia, o Jornal da Praia deseja aos leitores muita paz, muita alegria e felicidade durante todo o ano novo, são os sinceros votos da Direção do Jornal da Praia.

O Diretor
Sebastião Lima
diretor@jornaldapraia.com