Jornal da Praia

PUB

TIBÉRIO DINIS ACUSA BE DE QUERER “APROVEITAR-SE POLÍTICAMENTE DO PROCESSO DO BAIRRO DE SANTA RITA”

Terça, 20 de Novembro de 2018 em Atualidade 95 visualizações Partilhar

TIBÉRIO DINIS ACUSA BE DE QUERER “APROVEITAR-SE POLÍTICAMENTE DO PROCESSO DO BAIRRO DE SANTA RITA”

O presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, em nota de imprensa enviada esta terça-feira às redações, acusa o líder do Bloco de Esquerda (BE) na ilha Terceira de “desconhecimento total da lei e de aproveitamento político” em reação às declarações do responsável bloquista relativamente ao processo de resolução das habitações em Santa Rita adquiridas por portugueses a norte-americanos.

Em causa está uma nota de imprensa do BE emitida na última sexta-feira, 16 de novembro, após participação e intervenção do deputado regional do BE Paulo Mendes na Assembleia Municipal da Praia da Vitória. Na referida nota (acesso à notícia aqui) os bloquistas terceirenses acusam o presidente do município “de ter encenado o anúncio de um acordo oficial entre proprietários e os moradores do bairro de Santa Rita”, quando e são perentórios na afirmação “existe apenas um acordo de cavalheiros”.

“Paulo Mendes não só não contribuiu absolutamente nada para este processo, como revela um enorme e escandaloso desconhecimento da lei e dos processos administrativos e financeiros inerentes a esta situação, o que é extremamente grave para alguém que diz ter responsabilidade política. Mas, mais grave – porque recai na demagogia, no aproveitamento político do sofrimento alheio e na gincana trauliteira que em nada dignifica os agentes políticos -, Paulo Mendes vem a público comentar esta situação quando, em momento algum, acompanhou devidamente todas as discussões públicas, até porque abandonou a sessão da Assembleia Municipal da Praia da Vitória antes de ter terminado o debate sobre as diversas matérias relacionadas com este assunto”, lê-se na nota que cita Tibério Dinis.

 “Esta atitude revela que a sua única preocupação foi fazer parecer que estava interessado, ouvir uma ou duas coisas pela rama e, depois, vir a público falar do assunto. O seu interesse – e isso fica bem provado com esta atitude – nunca foi ajudar a resolver um problema que se arrastava há 20 anos. A sua única intenção é ganhar exposição pública, para, eventualmente, continuar a garantir a sua sobrevivência política. Isso é reprovável”, sublinha Tibério Dinis.

O presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória reafirma o já anunciado publicamente a 20 de setembro, aquando do anúncio do acordo e que consta de toda a comunicação “Este acordo é histórico, porque coloca fim a cerca de fim de 20 anos de um problema de ordenamento do território e de âmbito social no Concelho da Praia da Vitória. Agora, iniciaremos todo o processo administrativo e financeiro com vista à definitiva aquisição.”, sublinhou na altura o autarca praiense.

Tibério Dinis, garante que, aquando do anúncio do entendimento conseguido foi explicado que os contratos se formalizariam em março de 2019 devido aos trâmites legais inerentes, nomeadamente a imposição de aprovação do orçamento municipal, da minuta do contrato de compra e venda, da submissão destes à Assembleia Municipal e da recolha de visto do Tribunal de Contas.

“Se Paulo Mendes e o Bloco de Esquerda Açores estivessem verdadeiramente preocupados, tinham acompanhado toda a discussão, inclusivamente a aprovação dos diversos regulamentos de áreas ilegais no Concelho e a aprovação do orçamento da Câmara, no qual, pela primeira vez se inscrevem as verbas que permitirão resolver um problema com mais de 20 anos”, afirma o presidente do Município da Praia da Vitória.

GP-MPV/JP