Jornal da Praia

PUB

À MEMÓRIA DE FIRMINO VALDEMAR BARCELOS

Quinta, 04 de Outubro de 2018 em Opinião 79 visualizações Partilhar

À MEMÓRIA DE FIRMINO VALDEMAR BARCELOS

O Valdemar começou as suas lides na Tertúlia Tauromáquica Praiense (TTP) pelo ano de 1986, influenciado pelo dinâmico empresário, Almerindo Costa e também por Carlos Parreira. Eu próprio, nesse ano, fui convidado por ele, assim como tantos outros, que em conjunto formam os sócios fundadores da TTP, inaugurando-se a primeira sede. Logo se promoveu corridas de toiros, na então praça desmontável adquirida para prestar apoio às “Sanjoaninas – Festas da Ilha Terceira” que em 1978 se realizaram na Praia da Vitória.

Em 1987, já sobre a designação de “Festas da Praia”, em agosto e num figurino próximo do atual, trouxe à Praia da Vitória o prestigiado cavaleiro Paulo Caetano, com o qual estabeleceu uma sã e fraterna amizade que para sempre perdurou.

Amigo para de todos os momentos, o Valdemar foi sempre uma verdadeira referência de humanismo para toda a família da TTP. Todos aqueles que como eu te acompanharam, vamos sentir profundamente a falta do teu apoio, a nobreza dos teus sentimentos e aquela simplicidade que só os eleitos da festa taurina possuem.

Recordo com saudade, o modo invulgar como sempre acarinhaste os toureiros que ao longo de todos anos pelas Festas da Praia passaram, proporcionando-lhes voltas à ilha e brindando-os com simpáticos beberetes no aconchego da tua casa.

Pelas suas mãos, vários jornalistas de tauromaquia pela nossa ilha passaram, contribuindo para a divulgação não só da nossa tauromaquia, mas também da ilha Terceira e dos Açores. Promoveu “Noites de Fado” com os fadistas Gonçalo Câmara Pereira, Miguel Alvarenga e Maria José Valério onde houve colóquios importantes com a presença de prestigiados ganaderos continentais. Em 1988, acompanhado pelo advogado Sebastião Lima, redige e regista os estatutos da TTP que ainda hoje vigoram.

Sempre colaborou com todas as direções da TTP bem como com a Câmara Municipal da Praia da Vitória, no que aos assuntos tauromáquicos diz respeito. Dedicou a sua vida à Festa Brava e a nós como aficionados, neste momento de profundo pesar, só nos resta publicamente agradecer e pedir uma prece para que Deus o proteja na eternidade.

Silveirinha

NE: Texto originalmente publicado na edição impressa n.º 528 de 07 de setembro de 2018.