Jornal da Praia

PUB

PRAIA DA VITÓRIA É DESTINO PILOTO NOS AÇORES DO PROJETO “SMARTDEST”

Quarta, 12 de Setembro de 2018 em Atualidade 29 visualizações Partilhar

PRAIA DA VITÓRIA É DESTINO PILOTO NOS AÇORES DO PROJETO “SMARTDEST”

Decorreu ontem, 11 de setembro, na Academia de Juventude e das Artes da Ilha Terceira, o o workshop “SmartDest – Praia da Vitória”. Este workshop tem por objetivo desenvolver um projeto piloto na Praia da Vitória como SmartDest (Destino Turístico Inteligente) para, a partir daí, se divulgarem as ações que serão desenvolvidas no âmbito de um projeto à escala global da Região, que culminará com a apresentação às entidades competentes da “Proposta de Plano para Transformar os Açores num Destino Turístico Inteligente”.

Inspirado nas abordagens e conceitos do “Smart Cities”, embora noutra dimensão, o projeto “SmartDest” resulta de um apoio comunitário ao abrigo do programa de cooperação inter-regional que liga Açores, Cabo Verde, Madeira e Canárias, para transformar estes territórios em Destinos Turísticos Inteligentes. Para tal é preciso desenvolver uma série de atividades que visam melhorar a cooperação público-privada e o desenvolvimento de ligações e sinergias entre empresas e centros de investigação para o desenvolvimento de Destinos Turísticos Inteligentes. A Praia da Vitória foi, nos Açores, o concelho escolhido para a realização de um projeto piloto.

Neste workshop promovido pelo Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia (entidade açoriana parceira das congéneres da Macaronésia que estão a desenvolver este projeto europeu), participaram também o Diretor Regional da Ciência e Tecnologia, Bruno Pacheco, o Presidente do Observatório de Turismo nos Açores, Carlos Santos, a professora da Universidade dos Açores, Teresa Thiago, e Gualter Couto, João Ponte e André Oliveira da consultora “Fundo de Maneio”, que está a trabalhar na apresentação do Estudo “Diagnóstico de Maturidade Tecnológica dos Açores” visando a elaboração da “Proposta de Plano para Transformar os Açores num Destino Turístico Inteligente”.

TECNOLOGIA E TURISMO

Tiago Ormonde, vereador com os pelouros da Economia e Turismo na Câmara Municipal da Praia da Vitória, salientou as potencialidades da Praia para aliar tecnologia e turismo. “É imperativo aproveitarmos a tecnologia disponível para reforçar a qualidade dos nossos serviços e dos produtos turísticos que oferecemos. Mas estes devem respeitar a memória e as características que nos definem. Só assim continuaremos a ser genuínos e a merecer a confiança e o desejo de quem nos visita”, afirmou em declarações à comunicação social.

Para o responsável, este é já “um reconhecimento do caminho que temos trilhado, construindo essa infraestrutura capaz de nos inserir no contexto dos destinos inteligentes. Acreditamos convictamente que o futuro da Praia da Vitória é agora. Por isso, nos últimos meses, têm surgido projetos associados ao turismo de enorme qualidade, diferenciadores e geradores de economia. A oferta turística na Praia da Vitória tem-se diferenciado e tem dado mostras de encontrar caminhos que a sustentem. Essa ação é dos privados e, por isso, todos eles merecem o maior reconhecimento deste Município”.

“É imperativo que aproveitemos a tecnologia disponível para continuar a reforçar a qualidade dos nossos serviços e dos produtos turísticos que oferecemos. Por via do projeto Terceira Tech Island e da incubadora de negócios Praia Links, pretendemos continuar a apoiar projetos inovadores, que, por exemplo, através das tecnologias de informação criem novos serviços para quem nos visita. E estamos totalmente abertos a receber novos ‘inputs’ e a apoiar, sempre que possível, projetos e ações que reforcem a oferta turística do Concelho e da Ilha”, disse.

Tiago Ormonde aproveitou ainda para anunciar que “até ao final do ano, iniciaremos a nova campanha de promoção do destino Praia da Vitória, uma campanha que terá as redes sociais como um dos seus palcos”, acrescentando estar em curso um trabalho “para renovar as plataformas digitais que promovem turisticamente o Concelho”. “Queremos que quem nos visita tenha toda a informação à distância de um clique”, reforçou, considerando que “numa sociedade em que a informação se assume como peça estrutural, qualquer destino que queira vingar tem, obrigatoriamente, de estar ligado, de partilhar e fazer ouvir-se”.

GP-MPV/JP