Jornal da Praia

PUB

REPAVIMENTAÇÃO DO CAMINHO DA RAMADA AVANÇA EM SETEMBRO

Quinta, 30 de Agosto de 2018 em Atualidade 130 visualizações Partilhar

REPAVIMENTAÇÃO DO CAMINHO DA RAMADA AVANÇA EM SETEMBRO

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas adjudicou esta quarta-feira, 29 de agosto, a obra de repavimentação do Caminho Florestal da Ramada, na ilha Terceira, orçada em cerca de 177 mil euros, estimando que a empreitada possa ter início em setembro, para melhorar a acessibilidade de vários agricultores às suas explorações.

“A repavimentação em betão betuminoso do Caminho da Ramada, numa extensão de dois quilómetros, representa a aposta clara do Governo Regional na melhoria permanente da rede de acessibilidades e é mais um importante investimento para o setor agrícola na ilha Terceira que vai beneficiar o acesso a 18 explorações agrícolas, numa área superior a 60 hectares”, afirmou João Ponte durante uma visita ao caminho que será intervencionado, no concelho de Angra do Heroísmo.

O governante salientou que o piso deste caminho se encontra em muito mau estado, apesar das intervenções anuais que têm sido feitas pelos Serviços Florestais, o que justifica a obra agora adjudicada.

Para João Ponte, além dos novos caminhos que ainda é necessário fazer em várias ilhas, urge apostar, cada vez mais, na reabilitação da rede de caminhos agrícolas já existente, no sentido de a modernizar e dar-lhe ainda maiores condições de segurança.

“Este tipo de intervenção insere-se na política de modernização de infraestruturas que o Governo Regional está a promover em todas as ilhas, em particular na Terceira, que tem uma rede de caminhos rurais e florestais superior a 200 quilómetros, o que exige uma atenção especial, tanto mais que a produção de leite e de carne tem uma grande expressão na economia desta ilha”, afirmou João Ponte.

O Secretário Regional garantiu que o Governo Regional irá continuar a estar atento às preocupações e necessidades do setor agrícola no que se refere à modernização das infraestruturas, nomeadamente caminhos, abastecimento de água e eletrificação das explorações, por se tratar de intervenções fundamentais para dar sustentabilidade futura ao setor e obras que são muito valorizadas pelos agricultores pelo benefício que trazem ao seu trabalho diário.

“Temos consciência que muito já foi feito em matéria de acessibilidade agrícola nas nossas ilhas, mas temos ainda maior noção que há muito para fazer”, disse João Ponte, acrescentando que “o Governo Regional tem feito o que lhe compete, de acordo com as disponibilidades financeiras existentes”.

Apesar do ano particularmente difícil que se vive na ilha Terceira, quer devido à situação de seca, quer devido ao preço do leite pago ao produtor, João Ponte salientou que tal não tem impedido que exista por parte dos agricultores grande empenho e dedicação em produzir leite de muita qualidade, conforme atesta o aumento da produção de 3,2% nos primeiros sete meses deste ano, comparando com igual período em 2017.

De acordo com os dados oficiais, entre janeiro e julho deste ano, a produção de leite em termos regionais cresceu 3,1%, comparativamente com o período homólogo de 2017.

GaCS/RM/JP