Jornal da Praia

PUB

CDS-PRAIA EXIGE TRANSPARÊNCIA E LEGALIDADE NAS CONTAS DO MUNICÍPIO

Quinta, 10 de Maio de 2018 em No Concelho 507 visualizações Partilhar

CDS-PRAIA EXIGE TRANSPARÊNCIA E LEGALIDADE NAS CONTAS DO MUNICÍPIO

O CDS da Praia da Vitória, liderado por Andreia Vasconcelos, face ao relatório da auditoria do Tribunal de Contas ao setor empresarial do Município da Praia da Vitória, lamenta e repudia a forma negligente e danosa como os executivos camarários socialistas têm gerido as contas do município. O Tribunal de Contas alega que a Câmara Municipal da Praia da Vitória continua a financiar as empresas municipais sem sustentabilidade financeira e os responsáveis pelo município, entre 2013 e 2015, são acusados de “conceber uma estratégia com o declarado propósito de contornar o RJAEL (regime jurídico da atividade empresarial local e das participações locais)”.

De acordo com o Tribunal de Contas, se à dívida do município se juntar “a dívida das entidades controladas pelo município e por este suportada, verificar-se-ia um excesso de endividamento na ordem dos 13,4 milhões de euros, ou seja, 118,4% para além do respetivo limite legal”.

Para o CDS da Praia da Vitória, o relatório agora conhecido é a prova de que os socialistas, que têm estado à frente dos destinos do Concelho, hipotecaram o futuro da Praia da Vitória e dos praienses. O CDS da Praia da Vitória rejeita uma gestão pública desleixada e descuidada, por isso impõe a questão – “como é feita a gestão dos recursos financeiros da Câmara Municipal da Praia da Vitória?”.

Segundo Andreia Vasconcelos, Presidente do CDS da Praia da Vitória, “o CDS quer legalidade e transparência na gestão dos recursos financeiros e em todos os processos que dizem respeito ao município”, sendo que “a Praia da Vitória só terá um desenvolvimento económico harmonioso, quando existir um compromisso sério do seu executivo na gestão do orçamento municipal de forma clara e exequível. Os cidadãos da Praia têm direito à verdade.”

Andreia Vasconcelos manifesta total perplexidade com a reação do Presidente da Câmara, Tibério Dinis, que acusou o Tribunal de Contas de fazer “juízos de valor” e uma “interpretação errada da lei”. Para o CDS da Praia da Vitória, o Tribunal de Contas é um órgão independente e respeitado, e não merece este desrespeito institucional.

O CDS da Praia da Vitória relembra ainda que a Praia da Vitória, no ranking da transparência nos municípios portugueses, desenvolvido pela Associação Transparência e Integridade, está no fundo da tabela. Numa lista de 308 municípios ocupa a 247º posição.

GC-CDS/JP