Jornal da Praia

PUB

PRAIA DA VITÓRIA DEBATE INCENTIVOS AO COMÉRCIO LOCAL

Terça, 08 de Maio de 2018 em No Concelho 172 visualizações Partilhar

PRAIA DA VITÓRIA DEBATE INCENTIVOS AO COMÉRCIO LOCAL

Decorreu ontem, na Academia de Juventude e das Artes da Ilha Terceira, na Praia da Vitória, com a participação de cerca oito dezenas de pessoas, o 2.º debate do ciclo de fóruns “Pensar a Cidade do Futuro”, levado a cabo pela autarquia praiense, numa iniciativa de abertura e recolha dos contributos da sociedade civil.

Subordinado à temática “Incentivos ao Comércio Local”, a reflexão foi moderada por Teresa Quadro, professora e empresária do ramo hoteleiro, que apresentou como oradores Luís Leal, administrador do SDEA (Sociedade de Desenvolvimento Económico dos Açores) e Carla Bretão, economista e empresária.

Luís Leal, começou por sublinhar “que os Açores apresentam o maior quadro de apoios ao tecido empresarial do país”, passando a enumerar de forma sucinta os diversos instrumentos colocados à disposição. Destaque para o programa “Loja +” especificamente destinado à reabilitação de lojas do centro urbano com negócios diferenciados.

Carla Bretão, após uma dissertação sobre a importância da inovação e criatividade como grande motor da economia, falou sobre um estudo de satisfação de qualidade realizado em tempos pela Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo às lojas da ilha, que apontava aspetos positivos, que é necessário continuar e manter, e outros, negativos, sobre os quais é necessário refletir, atuar e melhorar, nomeadamente, tendo em atenção questões como a diversificação da oferta, os preços, a apresentação dos produtos, arquitetura e design dos espaços, e acessos e estacionamento.

Para o futuro deixou ideias, reflexões e estratégias. Desde logo apontou a fixação de empresas âncoras como um polo vital do desenvolvimento económico de qualquer localidade e, nesse sentido, a Praia da vitória deverá trabalhar arduamente para as fixar.

Considerando o preço de arrendamento de espaços no centro urbano da Praia da Vitória caro, sugeriu que seja encontrada uma solução equilibrada e justa para proprietários e inquilinos. Apresentou a criação de zonas Tax-Free como forma de potenciar o consumo de turistas, sobretudo do turismo de cruzeiros. Defendeu, como forma de incrementar as vendas no comércio local a isenção de parquímetros, através de distribuição de fichas pelos comerciantes aos clientes. Solicitou uma articulação entre as duas autarquias da ilha na promoção de eventos, criando-se um fluxo de movimento entra as duas cidades, já que e sustentou eventos concorrentes são prejudiciais para os interesses de ambas, tendo em conta a população existente. Incentivou os comerciantes a serem eles próprios promotores de eventos, não deixando esta responsabilidade unicamente para a autarquia e por fim, apelou aos comerciantes para cuidarem das fachadas e das montras, já que uma boa impressão causa o primeiro ímpeto de consumo.

Do público veio preocupações como a morosidade dos transportes, burocracia, impostos e taxas municipais como fatores de obstáculo ao sucesso empresarial praiense. Foi também abordado a necessidade de eventos comerciais como a feira “VitÓria” serem devidamente programados e calendarizados para que constem com a devida antecedência dos planos empresariais. Ainda no que diz respeito à feira “VitÓria”, apresentaram-se sugestões no sentido de repensar o modelo, avaliar resultados, equacionar a sua abertura ao exterior e enveredar por entregar a sua organização a profissionais.

O próximo e terceiro debate do ciclo de fóruns “Pensar a Cidade do Futuro”, realiza-se a 24 de maio e incidirá sobre “Reabilitação dos Espaços Públicos”.

JP – Online