Jornal da Praia

PUB

Ranking Escolar

Quinta, 22 de Março de 2018 em Editorial 1356 visualizações Partilhar

Ranking Escolar

A Ilha Terceira, volta a ser noticia por aspectos negativos que devem envergonhar a todos, ou seja o ranking das Escolas Terceirenses comparadas com as demais escolas do país, é um desastre.

Por exemplo a Escola Secundária Vitorino Nemésio, no concelho da Praia da Vitória ocupa 498º lugar dos rankings elaborados em 2017, com base nas médias dos exames do ensino secundário e básico, não apresenta média positiva em exames nacionais em disciplinas v.g. português, matemática, física, química, etc.

A Escola Vitorino Nemésio ocupa o lugar 807 a nível das escolas secundárias.

Mas isto de facto não se limita às escolas sucundárias, também o aspecto é negativo a nivel de ensino básico, e de acordo com as estatisticas últimamente divulgadas ocupam lugares indesejáveis, o que demonstra por si só que algo vai muito mal na educação escolar dos Terceirenses em particular e dos Açoreanos em geral.

Hoje a fonte de riqueza mais importante é o conhecimento, e só se consegue conhecimento evoluído que possa proporcionar uma base material de felicidade com boas escolas apetrechadas de bons docentes, examinados e classificados de acordo com o mérito.

Se os alunos têm problemas de atenção, se sentem pressionados e têm notas baixas deve-se culpar os métodos desadequados de ensino, as turmas numerosas e o ritmo de vida anormalmente acelerado, por isso deve-se mudar as escolas para que ensinem os alunos, preparando-os para que possam vingar no futuro.

A autonomia politica e administrativa foi criada para lançar o desenvolvimento da nossa região, e não há desenvolvimento sem um conhecimento eficaz e eficiente da população, nomeadamente para assegurarem um futuro prospero para as familias e para a sociedade.

Em nosso modesto entender o mal não reside nos alunos, os alunos não podem ser culpados do enorme fracasso, são os adultos, os governantes, os pais, os professores a quem se deve assacar responsabilidades, e conciencializá-los para se dar a volta a tão negro quadro quando nos comparamos com as restantes escolas do país.

Na educação e na formação é que está plasmado o futuro da nossa terra, e por isso a politica educacional regional, tem de ser reformada, melhorada, para que possam surgir bons frutos.

O Diretor,
Sebastião Lima
diretor@jornaldapraia.com