Jornal da Praia

PUB

Os Sabores da GRATER na Praia da Vitria

Sexta, 30 de Novembro de 2007 em Atualidade 949 visualizações Partilhar

Os Sabores da GRATER na Praia da Vitria
O que leva a GRATER a realizar o evento “Sabores da GRATER”?
A GRATER tem vindo ao longo dos anos, desde há cinco anos a esta parte, a realizar a feira Artes e Ofícios, nos três concelhos, com realização anual, o que deu grande experiência nesta área. Com esta experiência que a GRATER adquiriu, a actual direcção da associação, propôs a realização de uma feira de sabores tradicionais dos três concelhos e foi neste sentido que a GRATER realiza esta feira.
Quais os objectivos desta feira?
Os objectivos são, mostrar ao público em geral e divulgar, sobre tudo, junto dos mais novos os sabores tradicionais que grande parte não conhecem. O público poderá provar, por exemplo, os coscorões, cujo sabor até difere de freguesia para freguesia, filhoses, as sopas de nabos, funcho, sopa do Espírito Santo... podem também provar vinhos e queijos.
Como é que está estruturada a feira?
A feira irá ficar distribuída por 27 pavilhões todos cobertos. Haverá uma esplanada no centro do recinto com mesas e cadeiras para que o público, possa sentar e degustar os diferentes sabores.
Nos vários pavilhões, haverá mostras de sopas, vários tipos de licores, doçaria, queijos, uma fábrica de iogurte e três tipos de vinhos, o do Manuel Cardoso dos Biscoitos, o da Adega Cooperativa dos Biscoitos e o da Adega Cooperativa da Graciosa.
Da Graciosa, vai estar presente, por exemplo, a Adega Cooperativa da Graciosa com os seus vinhos, a pastelaria da ilha e a própria Câmara Municipal vai ter também um espaço.
O restaurante Alcatra vai estar presente com diversos tipos de alcatra.
Esta feira tem como principio a exposição e a venda dos nossos produtos tradicionais.
Grande parte dos intervenientes são os idosos dos centros de convívio da ilha, que vão estar nos diversos pavilhões.
Qual é a reacção do público às feiras promovidas pela associação da qual é Presidente?
O público tem reagido bem a este tipo de eventos. nalguns lugares mais, noutros menos.
Em relação a esta feira, surge numa altura do ano em que não existem outros eventos. Mas, a sua divulgação é muito importante, nesta altura do ano.
É uma experiência. É a primeira vez que se realiza “Os Sabores da GRATER”.
Quais as razões que levam a GRATER a realizar este evento na Praia da Vitória?
Realiza-se este ano na Praia da Vitória, pelo facto de estar montada a tenda junto à marina, o que facilita em muito a instalação dos 27 expositores.
Apoiará a Câmara Municipal da Praia da Vitória com os seus trabalhadores que ajudarão na sua montagem, bem como a Cooperativa Cultural da Praia vai disponibilizar os equipamentos e a Direcção Regional do Comércio e Indústria que apoio a feira da mesma forma que tem vindo a apoiar as feiras da GRATER.
No final deste ano haverá eleições para a GRATER. Qual foi a sua experiência como Presidente na associação?
A experiência foi boa, gratificante, trabalhamos bem. Como estavam fechadas as candidaturas, limitamos a gerir os projectos.
Como sobrou verbas, abrimos novas candidaturas, aprovamos novos projectos.
A GRATER tem como fim principal gerir fundos comunitários destinados ao meio rural.
Transferiu-se a sede para a Vila Nova, ocupando um espaço disponível e inserido em meio rural.
Criada em 1995, o que será no futuro a GRATER?
Cingir-se-á às duas ilhas, Terceira e Graciosa, como áreas de intervenção geográfica.
Recorrem à GRATER pequenos empresários, turismo rural, pequenas industrias, entre outros.
O grande valor destas associações é a comunicação directa entre a associação e que as procura. O acompanhamento é primordial e todo o processo, desde a sua entrada até a aprovação e acompanhamento, todo o processo é personalizado.
É importante o associativismo na GRATER, dado que, é em assembleia geral, entre todos, que se discutem as áreas para as quais os apoios são canalizados