Jornal da Praia

PUB

ESVN A ESCOLA QUE FORMA CIDADÃOS

Quinta, 08 de Fevereiro de 2018 em Opinião 465 visualizações Partilhar

ESVN A ESCOLA QUE FORMA CIDADÃOS

Haja Saúde!

Bem hoje vou vos falar destas inicias “ESVN” que tanto me dizem a mim, como a muitos jovens, especialmente aos jovens do concelho da Praia da Vitória. Com estas simples quatro letras abrevia-se a seguinte sequência de palavras “Escola Secundária Vitorino Nemésio”. Este que é um estabelecimento de ensino deste concelho é também um dos meus berços de educação. Pois foi pela sua passagem que cresci, entrando nesta escola ainda uma criança a iniciar o sétimo ano de escolaridade e saindo dela com a conclusão do secundário num jovem “semi adulto”.

E como nada é por acaso há poucas semanas alguém me confrontava com o facto de eu fazer parte da história da “Vitório”. História essa que revejo com muitas saudades e que por ela mais uma vez vos venho falar com o coração. Pois na atualidade do país e da região comenta-se o ranking das escolas e não é que os factos quantitativos são injustos com a “minha” escola. Sim! Minha. Pois o que este estabelecimento me deu, me ajudou já mais posso esquecer ou ignorar.

Não discutindo nem factos, nem opiniões, deixo apenas o meu coração falar. E é de coração cheio e em taquicardia de saudade que aqui vos venho falar deste estabelecimento. Pois quando dou palavra ao meu coração este só lhe apetece gritar “A escola Secundária Vitorino Nemésio é a melhor”: Esse é um sentimento muito meu, e saliento a negação de qualquer comparação com outrem. Já que durante o meu percurso escolar e excluindo a escola primária e a básica do baralho, a “Vitorino” foi a única escola secundária que conheci e frequentei. Sendo que foi nela que passei os melhores anos da minha vida, e engane-se quem pensa que foi só com os meus amigos e colegas. Pois o ambiente que se vive nesta escola é único e tem cheiro a união, cooperação e rumo ao sucesso. E isso inclui professores, docentes e não docentes caminhando lado a lado com os alunos. Bem como o sentimento que juntos somos uma família. Sublinhando que também se vivenciam diferenças, complexidades e outros problemas como em todo o lado, mas o mais importante é que a qualidade existente em nada é afetada.

Por isso e em resumo deste meu desabafo sentimental, questiono: “Quando é que o mundo vai deixar de valorizar a avaliação quantitativa e abrir portas à avaliação qualitativa?”. Sim! Porque neste mundo que se diz moderno ainda há muita valorização pelos números e pouca atenção pela qualidade. E em relação a esta situação partilho convosco um dos meus pensamentos da altura em que terminava o secundário: “Será justo um exame ditar o meu desempenho escolar? (…) E o que acontece ao esforço feito durante três anos? Ou mais específico em nove períodos? (…) Não conta? É desvalorizado?”.

Por fim saliento a importância de encontramos um equilibro entre estas duas avaliações e de nós “Homens de hoje” lutarmos pela desconstrução deste conceito. Ressaltando neste final uma mensagem de carinho à “minha” escola, por ser uma escola que forma cidadãos. MUITO OBRIGADO! OBRIGADO POR TUDO! São uma escola de qualidade e tenho muito orgulho em dizer que fui filho desta instituição e que muitas das minhas bases dela provém.

João Pedro Andrade