Jornal da Praia

PUB

O STP e a FUP

Sexta, 02 de Fevereiro de 2018 em Editorial 481 visualizações Partilhar

O STP e a FUP

A Filarmónica União Praiense (FUP) é a associação recreativa, cultural e musical com mais prestígio na cidade da Praia da Vitória, e foi fundada a 20 de Março de 1904, e desde a sua fundação teve sempre um papel notório na irradiação cultural das gentes da Praia da Vitória, e na época actual continua a preservar e a pôr em prática os seus nobres objectivos, na formação musical e na defesa e promoção da filarmonia.

A FUP ao longo da sua centenária existência, muito tem partilhado com os Praienses na promoção cultural, no recreio dos seus associados, em desafios, sonhos e testemunhos, que a história da nossa terra regista e orgulha-se, nomeadamente pelo facto de ser a banda filarmónica onde o Professor Vitorino Nemésio, aquando da sua adolescência tocou caixa e por isso nos seus escritos manifesta ter mais orgulho na tarola/de que na lira de Petrarca.

A Filarmónica União Praiense, na esteira dos seus preciosos objectivos teve a feliz iniciativa no dia 1 de Abril de 1922 de criar na então Vila da Praia da Vitória a Sociedade Salão Teatro Praiense (STP), que brevemente fará 96 anos.

A FUP foi e é a suprema arquitecta do STP, e desde o início deste foi a sua maior acionista, mas como constava do pacto social do Salão Praiense ter muitas acções ou poucas acções, o acionista só tinha direito a um voto, e devido a esse facto foi a FUP desde o início afastada do directório do STP e lançada ao ostracismo.

Em 2007 o STP reformulou os seus estatutos e transformou-se numa sociedade anónima, mas foi sol de pouca dura, devido a vicissitudes de vária ordem, o que levou o STP a tornar-se ingloriamente inactivo.

Em Fevereiro de 2012 o STP por escritura publica torna-se numa associação recreativa e cultural, Associação Salão Teatro Praiense (ASTP), com fins culturais e sociais legítimos de “desenvolver projectos que potenciam o emprego, a competitividade, a solidariedade sustentável e a qualidade e excelência”, esta associação ficou sedeada na Academia da Juventude e das Artes da Ilha Terceira, na cidade da Praia da Vitória.

A ASTP, conta com vários parceiros e ou associados, por exemplo Estabelecimentos de Ensino, Associação Alerta, AJITER, Lar D. Pedro V, Santa Casa da Misericórdia da Praia da Vitória, etc.

É impossível compreender como é que a FUP, não entrou nesse clube de parceiros e ou associados, pois como acima ficou claramente demonstrado, e é facto notório a ASTP deve a sua origem indiscutivelmente à arrojada iniciativa da FUP.

Não restam quaisquer dúvidas, que foi um erro crasso não ter sido a Filarmónica da Praia da Vitória incorporada na Associação Salão Teatro Praiense, mas nunca é tarde para os órgãos directivos da ASTP poderem corrigir esta enorme injustiça, restaurando-se a verdade, revisitando-se o passado e fazendo-se justiça à FUP.

O Diretor
Sebastião Lima
diretor@jornaldapraia.com