Jornal da Praia

PUB

Natal

Terça, 26 de Dezembro de 2017 em Editorial 282 visualizações Partilhar

Natal

Celebrando uma realidade notória, o Natal leva-nos a reflectir sobre a sua principal essência, ou seja “o verdadeiro Natal é o nascimento contínuo de Cristo na humanidade, tanto como na Páscoa a sua contínua crucificação e ressurreição em todos e em cada ser humano”.

Será que o Natal tem sido vivido com base naquela verdadeira essência? Certamente que a resposta a esta pergunta é negativa, na verdade, olhamos à nossa volta e vemos cada vez mais proliferar o materialismo desenfreado, os homens arredaram Cristo da sua vida, e preferem estar mergulhados em guerras, ódios e invejas desastrosas radicalizadas em políticas internacionais onde faltam verdadeiros acordos, por exemplo nas políticas ambientais, no Estatuto Internacional de Jerusalém, nas armas nucleares, no combate ao terrorismo, à fome, na ajuda aos refugiados e nas leis laborais para porem termo à exploração do trabalho infantil, do trabalho escravo, etc.

Ora, isto tudo gerou e gera caótica corrupção, guerras violetas que incendeiam o mundo, genocídios por motivos éticos, religiosos, culturais e racistas, porque independentemente destes vis acontecimentos “é no amor-doação que existe salvação” e a solução para os homens construírem um futuro melhor.

Porque só o amor entre os homens, aliado da verdade é a arma mais eficaz para a construção da paz, porque o amor é antes de tudo uma decisão que deve ser explorada sem quaisquer barreiras, não só no Natal, mas durante todo o ano, a fim de sermos muito melhores na família, no trabalho, na sociedade, dando um contributo imprescindível para a construção de uma sociedade nova, mais rica, mais solidária, mais cordata e pacífica.

Não basta reflectirmos nos moldes supra referidos, é necessário e urgente agirmos radicalmente de forma a obtermos bons resultados.

Na época Natalícia, andamos todos preocupados em escolher e comprar presentes, em participar em jantares próprios desta época, e “atropelamos” a verdade com uma voracidade materialista e individualista nunca vista, esquecendo os que sofrem, as tragédias dos incêndios que devastaram Portugal Continental, vitimando vidas humanas e em pouco tempo terminaram com o trabalho de toda uma vida.

O Natal é o tempo de nos preparamos para receber e retribuir amor, solidariedade e paz, pois será o melhor presente que se pode doar.

O Diretor
Sebastião Lima
diretor@jornaldapraia.com