Jornal da Praia

PUB

O CANTINHO DO PSICÓLOGO 173: ALIVIAR O STRESS

Terça, 31 de Outubro de 2017 em Opinião 156 visualizações Partilhar

O CANTINHO DO PSICÓLOGO 173: ALIVIAR O STRESS

Dia de comemorações, partilha de um bom prato, troca de emoções, música, enfim, situações que se podem aproveitar para aliviar o stress. Entretanto, embora a tomada de medidas de participação nestas, e em situações semelhantes possam ajudar a combater o stress que nos afecta, revelam-se habitualmente insuficientes quando aquele aumenta ou se torna mais profundo. Aliás o stress, que pode invadir A, B, ou C., dificilmente é compreendido da mesma maneira por todos. E por isso até nos órgãos da comunicação social chegam a circular ideias a pôr em causa certas orientações da sociedade ou de alguns dos seus defensores, respeitante ao nosso tema.

Seja exemplo a comparação das respostas produzidas por alguém, em jeito de crítica a possíveis intenções ou acções governamentais ocorridas ao longo do tempo, às seguintes questões, como verdades hipotéticas, e possíveis consequências, e que se enunciam sucessivamente: (1) vais ter relações sexuais? - O governo dá-te preservativos; (2) já tiveste? - Idem, a pílula do dia seguinte; (3) engravidaste? - Idem, o aborto; (4) tiveste filhos? - Idem, o abono de família; (5) estás desempregado? - Idem, o subsídio de desemprego; (6) és drogado? - Idem, seringas; (7) não gostas de trabalhar? - Idem, o rendimento mínimo; (8) foste preso e agora puseram-te cá fora? - Idem, o subsídio de reinserção social. Agora experimenta estudar, trabalhar, produzir, andar na linha e verás o que acontece!

Neste último caso, dizem, que ninguém lhe dá nada, ninguém lhe dá nada… E acrescentam que se pode ficar cansado, stressado, aborrecido, triste, irritado, doente, ansioso, depressivo, a não ser que se goste de si, se faça algo por si, se procure ajuda, se enfrente os problemas, e não se deixe ir… Mas há mais exemplos de coisas que se podem fazer por nós próprios. Vamos a elas, através do seu enunciado e de alguns exemplos. A Primeira consiste em transformar o estar em baixo no estar em cima. E como se consegue isso? Habitualmente, quando estamos com problemas agarramo-nos a qualquer coisa, a todos os galhos à nossa frente, no sentido de não nos afogarmos. Mas isto pode causar confusão, na medida em que acabamos por nos concentrar em muitas áreas, com linguagens e crenças diferentes, o que nos vai aumentar a confusão.

Mas o ideal é não fazer isto, mas sim no momento da dificuldade centralizar em algo que a nossa fé determine (Valzacchi, 2008), A verdadeira força está em nós próprios em ser o condutor da própria mente, levando-a para um ideal forte, coerente e apaixonante, um ideal de vida onde cada conquista é um troféu que vale a pena partilhar. Não deixe que o lado sombra vença a sua batalha interior. Reverta a situação com positivismo, fé, espiritualidade, com todas as coisas que possam elevar o seu lado emocional, a sua auto-estima, consciência, paz interior, e acrescentar-se-ia, com todo o seu ser. A força da vida está em nós. Não podemos esquecer que nada há de mais importante do que nós mesmo.

Por isso infunda acção na sua vida. Não espere que isso surja por si, mas faça acontecer. Estabeleça o próprio futuro. Confeccione a sua esperança. Componha o seu amor. Seja qual for a sua opinião, honre o seu criador, não esperando passivamente que a graça desça do alto, mas pelo contrário, fazendo o que puder para a graça submergir, nós mesmo, agora mesmo, aqui na Terra (Whitford, 2017). Lembre-se que quando se age está-se a jogar uma versão de si mesmo, é isso que nos constrói.

Ajuda também seguir os preceitos de Descartes, de acordo com a versão resumida apresentada por Cides (2008), que se indica: (a) nunca aceitar como exacto alguma coisa que não seja evidente, ou que não tenha sido aprovada; (b) dividir cada problema em tantas partes quanto possível e necessário para resolvê-lo, (c) pôr em ordem os pensamentos, começando pelos mais simples e mais fáceis de ser atendidos, para atingir, paulatinamente, os mais complexos; e (d) fazer em cada caso revisões gerais, para ter a certeza de que nada foi esquecido.

Aurélio Pamplona

Referências:

Valzacchi, P. (2008). Mude seus pensamentos e transforme a sua vida. S. Paulo:             Universo de Livros.
Whitford, B. (2017). Day, waiting, thought. Salvado em 15 Abr. de Fonte: Estado zen. Tema: Bradley Whitford Quotes: Website: www.brainyquote.com/quotes/authors       /b/bradley_whitford.html.
Cides, C. J. (2008): Como transformar sua ideia em dinheiro: Aprenda a planejar e tenha sucesso com a sua própria empresa. S. Paulo: Digerati Books.

NE: Texto publicado na edição impressa n.º 507 de 27 de outubro de 2017.