Jornal da Praia

PUB

CLÁUDIA MARTINS QUER MUNICÍPIO ENERGÉTICAMENTE MAIS EFICIENTE

Quarta, 27 de Setembro de 2017 em Atualidade 48 visualizações Partilhar

CLÁUDIA MARTINS QUER MUNICÍPIO ENERGÉTICAMENTE MAIS EFICIENTE

A candidata pelo PSD à presidência da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Cláudia Martins, compromete-se com “um conjunto de medidas que pretendem baixar os custos, desnecessários, com a Energia do município”.

A social democrata defende ser “fundamental criar a figura de Gestor Municipal de Energia, num município que se apresenta como o segundo maior consumidor de energia, entre os municípios regionais, segundo dados do PORDATA”.

Melhorar o modelo atual da gestão da procura e consumo de água no município é outro dos objetivos: “É necessário um modelo alternativo, tendo em vista uma melhor eficiência energética, considerando que um dos principais custos associados à distribuição pública de água é o consumo de energia”.

Cláudia Martins avança ainda que “tenho plena consciência que tornar uma cidade eficiente energeticamente tem custos e, por isso, um dos nossos objetivos é aderir ao plano ECO.AP da ADENE, como forma de financiamento a medidas de eficiência energética”.

Além das medidas referidas, a candidatura “Devolver a Vitória à Praia” pretende promover e criar “uma estrutura técnica para o aconselhamento na área da eficiência energética aos habitantes e às empresas do município”.

Estas medidas surgem no âmbito do lançamento de mais um nome da sua equipa, Luís Ruivo, Engenheiro de Sistemas de Energia, a aposta da candidata social-democrata para “tornar a Praia da Vitória num Concelho efetivamente eficiente”.

Nesta área surgem ainda medidas como a implementação de um modelo de gestão otimizada da iluminação pública, através de sistemas de iluminação e controlo mais eficientes; a implementação de equipamentos de monitorização ativa dos consumos de energia nos edifícios públicos do município; a aposta em sistemas de produção de energia renovável nos edifícios do município (painéis solares, bombas de calor, caldeiras a biomassa…); a implementação medidas de formação, sensibilização e educação para os trabalhadores municipais e de empresas privadas que operem veículos ou equipamentos intensivamente consumidores de energia; a promoção de um modelo de gestão da frota municipal; e ainda conceber uma ferramenta que permita medir ecologicamente todas a compras como equipamentos consumidores de energia, viaturas e empreitadas.

GICCM/JP