Jornal da Praia

PUB

O “BIG BROTHER” DO TEMPO

Terça, 16 de Maio de 2017 em Opinião 131 visualizações Partilhar

O “BIG BROTHER” DO TEMPO

No passado, o obscurantismo levou milhões a cerrar fileiras em torno das maiores tiranias. Hoje, na era da comunicação pública emergem meios mais eficazes e perversos de controlar as massas.

Nunca antes os homens tiveram tanto conhecimento disponível; e ainda assim pontifica a alienação por um lado, o entretenimento fútil por outro; tudo quanto faz deste um mundo cruel.

Vejamos como. A mercantilização da imprensa não podia ter outro fim que não a submissão ao poder económico. O cartel informativo do momento vem gerando o efeito imbecilizante que faz cama para a propaganda fácil que nos entra casa dentro. Remove o pensamento individual de temas relevantes, movendo-o para detalhes “coloridos”, mas ínfimos e vazios.

O conteúdo que distrai também causa preguiça intelectual, e anula a capacidade para o pensamento abstrato. Por isso as televisões são parte do submundo da indústria do entretenimento, intencionalmente ofuscando o espírito crítico das gentes com as “cores” do tempo.

Muito convenientemente, o paradigma literal com que se encara um jogo de futebol, um “reality show” ou um concurso musical, é transportado para a análise do desemprego, das questões da UE ou da política internacional. Esquece-se que a História da humanidade explica o presente e ensina o futuro; finge-se que a atualidade se cinge à contemporaneidade. Quando é para pôr toda a gente de um lado, repetem-se notícias falsas ou de origem duvidosa até à exaustão como se fossem verdades absolutas; ou então, sob pretexto de um falso debate, surgem 3 pseudojornalistas promovidos a comentadores vomitando por diferentes palavras a mesmíssima cartilha.

É assim que se dissemina o pensamento único, a “vox populis” do tempo; um “big brother” bem mais robusto do que aquele imaginado por Orwell.

Paulo Santos

NE: Texto publicado na edição n.º 496 de 12 de maio de 2017.