Jornal da Praia

PUB

Padre Francisco da Rocha de Sousa

Domingo, 14 de Maio de 2017 em Editorial 166 visualizações Partilhar

Padre Francisco da Rocha de Sousa

No passado dia 4 de Maio, celebrou-se o primeiro centenário do Padre Francisco da Rocha de Sousa, ilustre pároco de Santa Cruz da Praia da Vitória, durante 15 anos, grande defensor de elementos instrumentais para o verdadeiro entendimento da religião católica e do mundo.

O Padre Francisco da Rocha de Sousa, nasceu na freguesia de Santa Barbara (então Santa Barbara das Nove Ribeiras), concelho de Angra do Heroísmo, no dia 8 de Abril de 1865, frequentou o Seminário de Angra do Heroísmo com óptimo aproveitamento, tendo sido ordenado Padre no dia 14 de Agosto de 1887, com 22 anos de idade.

Figura incontornável do Clero Terceirense, pastoreou, na qualidade de vigário da Igreja Matriz de Santa Cruz, da Praia da Vitória de 26 de Abril de 1902 até à sua morte no dia 4 de Maio de 1917.

O Padre Francisco da Rocha de Sousa, nunca vacilou perante os nevoeiros do mundo e da vida, a naturalidade com que o padre se colocou na Praia de Santa Cruz, encantou-se certamente pela baía mais formosa dos Açores e talvez de Portugal com ondas esplêndidas daquele mar abençoadas pela luz gloriosa do sol, por vezes misturadas com a chuva das magnificas nuvens, inspirou-o para o seu múnus sacerdotal ímpar nestas paragens.

Homem de fala clara, os seus sermões modelares deveriam ser emoldurados pela Paróquia de Santa Cruz da Praia da Vitória, pois seriam capazes de produzir resultados positivos na catequização dos crentes, não só do ponto de vista teológico, mas também moral, amplificando a mensagem de Cristo, aquecendo os corações dos fiéis, aproximando-os da Igreja, porque “devem os homens deixar de ser o que são, para chegarem a ser o que devem”.

O Padre Francisco da Rocha de Sousa, glória do Clero Açoriano, foi sempre muito fiel à doutrina de Cristo, e sempre soube conduzir as suas ovelhas ao redil com a segurança nas verdades inabaláveis da fé católica através do seu exemplo de vida humilde e solidária, sempre ao lado dos mais desfavorecidos, consolando-os no dia-a-dia, para enfrentarem a vida muito dura daqueles tempos, o que lhe granjeou fama de Santo.

O Padre Rocha de Sousa, foi um santo homem e “da sua obra edificada, caracterizada por reformas nas estruturas paroquiais de base, fica-nos a Igreja de S. José de Santa Luzia, reconstruída a partir das ruinas de um convento e a capela do Senhor Jesus da Agonia na parte velha do actual Cemitério Municipal”.

Em boa hora, foi celebrada a Eucaristia no Cemitério da Praia da Vitória, no dia 4 de Maio, pelas 19 horas e 30 minutos por sufrágio do Padre Rocha de Sousa.

A Praia da Vitória, jamais poderá esquecer tão eminente figura que as Autoridades Eclesiásticas abençoaram.

O diretor,
Sebastião Lima
diretor@jornaldapraia.com