Jornal da Praia

PUB

JUNTAR O ÚTIL AO AGRADÁVEL

Segunda, 17 de Abril de 2017 em Opinião 185 visualizações Partilhar

JUNTAR O ÚTIL AO AGRADÁVEL

Continuamos a destacar alguns elementos sobre a actividade física como forma de garantir não só um bom descanso, mas também a nossa resiliência, ou seja, o conjunto de factores que nos facilitam enfrentar e superar problemas e adversidades, sem prejuízo do próprio, ou dos outros. Naturalmente que para isto se conseguir necessitamos de fazer algo por nós, como lançar mão das nossas “rédeas de condução da vida”, e não nos deixar levar por facilidades que habitualmente não ajudam. Por exemplo, o autor da fotografia e alguns amigos, ao realizarem o sonho de atravessar o Atlântico, e irem de propósito, da Terceira a Santa Maria, fazer algumas caminhadas, aumentaram a sua estamina e a possibilidade da vida se tornar mais compensadora.

Entretanto existem aqueles que, quando os obstáculos aparecem no seu caminho pouco fazem para os enfrentar, ou quando muito tentam contorná-los. Mas habitualmente esta não é a solução a defender-se. Defende-se sim o exemplo o pai do Luís, que para mostrar a confiança que tinha no filho, e embora estivesse cheio de medo, se deixou levar a seu pedido por uma rua mais curta no caminho para casa, mas onde habitualmente surgem dois cães a atacar. E o que aconteceu? Aconteceu que, quando os cães apareceram, o filho atira-se ao chão, e em vez de se empenhar na fuga enfrentou-os, pondo-se também a ladrar na direcção daqueles, o que os assustou e os levou a fugir. Para ultrapassar os obstáculos que surgem no nosso caminho precisamos de nos esforçar no sentido do seu domínio. E não podemos esquecer o que afirmou Gretzki (2016), considerado por muitos como o melhor jogador de hóquei da história: «falhamos cem por cento as oportunidades que não tentamos».

Registe-se ainda que, de acordo com as Directrizes das actividades físicas para os Americanos já mencionadas, os resultados das investigações apontam os seguintes benefícios, da prática da actividade física, para além da redução do risco de muitos resultados adversos para a saúde: (1) melhor alguma actividade física do que nenhuma; (2) benefícios adicionais ocorrem, na maioria dos campos da saúde, com o aumento da quantidade dessa actividade, em termos de intensidade, frequência e duração; (3) a maioria dos benefícios sobrevém com pelo menos 150 minutos por semana de actividade de intensidade moderada, como a caminhada rápida, ocorrendo benefícios adicionais com aumento de actividade; (4) tanto a actividade física aeróbia (cárdio), como a anaeróbia, é benéfica; (5) os benefícios da saúde acontecem em crianças e adolescentes, adultos jovens e de meia-idade, e mesmo em idosos em todos os grupos étnicos estudados; (6) os benefícios surgem também em pessoas com deficiências; e (7) os benefícios superam a possibilidade de resultados adversos.

Já a União Europeia e os seus Estados-membros recomendam um mínimo de 60 minutos diários de actividade física, de intensidade moderada, para crianças e jovens, e de 30 minutos diários de actividade moderada para adultos, incluindo também os idosos. E esclarecem que a dose necessária de actividade física pode: (a) ser acumulada em sessões de pelo menos 10 minutos; e (b) compreender uma combinação de períodos de intensidades moderada e vigorosa. Entretanto devem ser acrescentados treinos que permitam melhorar a força muscular e a resistência, 2 a 3 dias por semana, acrescidas às actividades da rotina diária, que tendem a ser de intensidade ligeira. Para adultos com mais de 65 anos, deverão em princípio ser alcançadas metas idênticas às de adultos mais jovens, sendo especialmente importantes nesta faixa etária, para evitar quedas, exercícios de treino da força e de equilíbrio.

Enfim, todo este ”passeio” por aspectos que dizem respeito à actividade física teve origem na importância que se lhe atribui para garantir uma boa noite de sono. Entretanto realce-se que, também para o nosso bem, não podemos esquecer o que disse alguém (Cheung, 2006): «Preste atenção aos seus pensamentos, pois eles se tornam palavras... Escolha as suas palavras, para que se tornem acções... Entenda seus acções, para que se tornem hábitos... Estude os seus hábitos, por eles se tornam no seu carácter... Desenvolva o seu carácter, pois isso se tornará no seu destino».

Aurélio Pamplona

Referências:
Cheung, T. (2006). Quotations. Em The Element Encyclopedia of the Psychic World:The ultimate az of spirits, mysteries and the paranormal. (pp. 828). London: Harper Element.
Gretzki, W. (2016). Salvado em 18 Out. de Fonte: BrainyQuote.com. Tema: You, Miss, Take. Website: https://www.brainyquote.com/quotes/quotes/w/waynegretz383282.html

NE: Texto publicado na edição impressa n.º 484 de 14 de abril de 2017