Jornal da Praia

PUB

6 de março

Sexta, 31 de Março de 2017 em Editorial 394 visualizações Partilhar

6 de março

No dia 6 de Março, fez 375 anos, que o povo Terceirense e de outras ilhas dos Açores, de forma gloriosa tomou o Castelo de Angra, então Castelo de S. Filipe, e hoje denominado Castelo de S. João Baptista aos Castelhanos.

Os Açorianos conseguiram assim libertarem-se do jugo Espanhol, cercando o castelo durante 11 meses, mas os militares Castelhanos resistiram durante aquele tempo ao cerco, e no dia 6 de Março de 1642, renderam-se às forças Açorianas, terminando o domínio Filipino que durava há seis décadas, subjugando o Reino de Portugal, incluindo os Açores.

Não podemos deixar de citar o nosso grande escritor, Padre António Vieira, que nos seus escritos registou tal feito heroico, levado a cabo de forma sublime pelo povo destas nobres ilhas “o Castelo da Terceira, governado, e presidiado de Castelhanos, e quatro vezes socorrido de Castela; aplicou Deus a mão, e rendeu-se o castelo, não a sítio de Capitães, e Soldados pagos, senão ao que por mar, e por terra fizeram os moradores, e lavradores com assombro do Mundo: no princípio do sítio não tinham mais de que um barco, e no cabo dele defendiam as entradas do mar com nove navios de guerra, tomados todos aos Castelhanos”.

As ordenanças da Terceira e das várias ilhas naquela altura, e pela primeira vez defenderam e consolidaram a identidade Açoriana, “o povo com armas a moldar a história” da ilha Terceira e dos Açores.

Na verdade devemos ter muito orgulho, e recordar tais factos, e a coragem implacável dos Açorianos na conquista da sua liberdade, e na colaboração da libertação do Reino de Portugal do domínio Filipino.

O diretor,
Sebastião Lima
diretor@jornaldapraia.com