Jornal da Praia

PUB

Marcolino Candeias

Segunda, 23 de Maio de 2016 em Editorial 798 visualizações Partilhar

Marcolino Candeias

A Ilha Terceira, os Açores estão de luto porque faleceu um ilustre filho, um dos seus maiores poetas contemporâneos, Marcolino Candeias, morreu no passado dia 1 de Maio, o dia do trabalhador.

Marcolino Candeias Coelho Lopes, natural da freguesia das Cinco Ribeiras, concelho de Angra do Heroísmo, nasceu em 1952.

Fez os seus estudos secundários no Liceu Nacional Padre Jerónimo Emiliano de Andrade, em Angra do Heroísmo, cumpriu o serviço militar em Angola, durante a época da descolonização das colónias portuguesas, foi alferes miliciano no exército, e após ter cumprido o serviço militar matriculou-se na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, no Curso de Filologia Românica, foi Assistente na Universidade de Coimbra e na Universidade dos Açores.

Marcolino Candeias viveu durante 11 anos no Canadá, em Quebeque, onde foi professor convidado de Língua, Literatura e Culturas Portuguesa e Brasileira na Universidade de Montreal e participou activamente no movimento de campanha do referendo para a independência do Quebeque.

Marcolino Candeias actualmente era director da Biblioteca Pública e Arquivo de Angra do Heroísmo, colaborou com diversos jornais e revistas nacionais e estrangeiras, e vários dos seus poemas encontram-se traduzidos em inglês e eslovaco.

Marcolino Candeias, genial poeta, homem aberto e livre, era um açoriano de “boa raiz”, pare ele a poesia era sensação, vivida intrinsecamente e sempre atenta à realidade social que brota inspiração frutífera.

Este já saudoso poeta deixou-nos um legado invejável, e creio que não levará muito tempo cujo o seu estudo se fará nas nossas escolas, como referência que honra as letras e poesia açoriana, onde realça o seu amor à região, à terra onde viu nascer, tendo-se da lei da morte libertado, onde o seu poético sonho “ribomba pela campina fora” eternamente.

 

O Diretor,
Sebastião Lima
diretor@jornaldapraia.com