Jornal da Praia

PUB

Editorial

Quarta, 31 de Dezembro de 2014 em Editorial 1000 visualizações Partilhar

Embora custe a acreditar, mas é verdade inabalável que nos últimos tempos o Jornal da Praia e a Associação Recreativa e Cultural, o Grupo de Amigos da Praia da Vitória, proprietária deste jornal, foram terrivelmente afectados com as mortes de importantes dirigentes e colaboradores, que continuamos a chorá-las “chorar é o lastimoso fim de ver, ver é o triste princípio de chorar”.

No passado dia 13 de Dezembro, no Hospital de Santo Espírito de Angra do Heroísmo, faleceu o Senhor Luís Manuel Martins de Sousa Ribeiro, dirigente do Grupo de Amigos da Praia da Vitória e ilustre colaborador do Jornal da Praia, pessoa espiritualmente rica e bom conselheiro que quanto mais o ouvíamos, mais queríamos ouvi-lo, porque estamos convictos que “a ciência está nos Doutores, que a estudam pelos livros, a experiência está nos velhos, que a aprendem pelos anos”.

O Senhor Manuel Martins de Sousa Ribeiro, conhecido no nosso meio pelo Senhor Luís Brasileiro, nasceu a 26 de Janeiro de 1945, na freguesia de Santa Cruz, concelho de Praia da Vitória, e emigrou ainda muito jovem para o Brasil onde viveu largos anos, dedicando-se ao comércio e regressou na década de 80 à sua Ilha Terceira, trabalhando como produtor agrícola.

O Senhor Luís Brasileiro, que importa recordar, foi um homem culto e solidário, um verdadeiro franciscano sem hábito, esteve sempre ao lado dos deserdados, dos humildes e dos pobres, socorrendo-os dentro das suas possibilidade de forma exemplar e correcta, para ele não havia coisas irresolúveis neste mundo.

Reconhecemos que deve ser exemplo a seguir, nunca modificou o seu caracter, nunca claudicou perante as agruras da vida, afim de salvaguardar a esperança num mundo melhor.

Foi militante do Partido Democrático do Atlântico, procurou sempre defender ao máximo a Autonomia Progressiva dos Açores, sobretudo denunciando as atitudes arbitrárias e colonialistas do poder central, sedeado no Terreiro do Paço em Lisboa, reagindo virilmente contra os ataques desprezíveis à capacidade política e legislativa regional, por parte dos governantes continentais.

Ajudou com extraordinária voluntariedade a Filarmónica União Praiense na década de 90 do século passado, exercendo as funções de vogal e de tesoureiro na Direção da Filarmónica da cidade do Professor Vitorino Nemésio, o homem foi efetivamente dos melhores elementos de sempre que por ali passaram.

Nutria pela Praia da Vitória e pelos praienses infinita ternura, pessoa extremamente educada e dedicada, sendo amigo de todos, pessoa de muita generosidade.

A cidade da Praia, seu berço, deve-lhe justa homenagem a esse grande praiense, que soube como ninguém cultivar a amizade.

À família enlutada – o Jornal da Praia – irmãos, cunhado e sobrinhos deseja as mais sinceras condolências.

Acreditamos que o Senhor Luís Ribeiro descansa em paz perpétua, porque “bem não é dos bens que se recolhem, senão dos que se semeiam, nem dos que se adquirem, senão dos que se repartem”.

 

Diretor, Sebastião Lima