Jornal da Praia

PUB

Editorial - CPLP

Domingo, 27 de Julho de 2014 em Editorial 980 visualizações Partilhar

Editorial - CPLP

No rescaldo da Cimeira da CPLP realizada na capital de Timor Leste, Díli, ficou demonstrado mais uma vez que os interesses económicos sobrepõem-se radicalmente a tudo e a todos, o que nos faz pasmar.

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, CPLP, criada à cerca de 18 anos, tendo por móbil a concretização e materialização de projectos de promoção e difusão da língua portuguesa, a cooperação em todos os domínios entre os estados membros, a defesa da democracia, o estado social de direito, os direitos humanos e a justiça social…

Tais princípios programáticos foram vergonhosamente desvirtuados com a entrada da Guiné Equatorial, à CPLP, país africano governado por um terrível ditador, onde a violação dos direitos humanos, os assassinatos, a tortura, a pena de morte, são frequentes, uma forma terrível de os responsáveis políticos acabarem com os seus opositores.

O Presidente da Guiné Equatorial Teodoro Obiang, responsável por um regime horrível, uma ditadura feroz, que não agrada a ninguém, devido à sua riqueza, e ao muito petróleo e gás natural que a Guiné Equatorial possui, foi recebido de braços abertos em galas de festa fascinante no seio da comunidade dos países da CPLP.

O Presidente da República, Cavaco Silva e o Primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, contentaram-se e esfregaram as mãos com a negociata da Guiné Equatorial ao pretender investir milhões de euros no Banif, o que em nosso modesto entender não passa de um esquema sofisticado de branqueamento de capitais.

Ao procederem desta forma, consentindo a adesão de um país com características tão funestas, perdeu-se a noção de moralidade e normalizou-se a anormalidade, em que o humanismo é afogado por puros interesses económicos e financeiros, onde se permite de forma desenfreada o triunfo da finança sobre a democracia, a política e os direitos humanos.

 

Diretor, Sebastião Lima