Jornal da Praia

PUB

Praia Ambiente prepara-se para ser produtor licenciado de biodiesel

Sexta, 26 de Novembro de 2010 em Atualidade 1073 visualizações Partilhar

Praia Ambiente prepara-se para ser produtor licenciado de biodiesel A empresa municipal Praia Ambiente pretende estar licenciada como pequeno produtor de biodiesel durante o primeiro semestre de 2011. A intenção foi manifestada na manhã de sexta-feira, 26, pelo presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, no âmbito de uma visita à central de produção de biodiesel, instalada junto à Estação de Tratamento de Águas Residuais da cidade.

 

Roberto Monteiro, em declarações aos jornalistas, explicou que está a decorrer o processo de licenciamento e que, concluída essa fase, a Praia Ambiente (que tem testado a produção de biodiesel e o abastecimento de algumas das suas viaturas nos últimos meses) poderá não só abastecer a sua frota com biodiesel, mas também vender parte da sua produção.

 

“Os Serviços Municipalizados de Angra do Heroísmo já manifestaram publicamente interesse em abastecer os seus veículos com o biodiesel que a Praia Ambiente produz e da nossa parte haverá todo o empenho em que isso se concretize. A produção de biodiesel pela Praia Ambiente é um projecto que acarinhamos e que se enquadra na inovação que incutimos nesta empresa municipal, responsável pela gestão do abastecimento de água e pela recolha de resíduos no concelho”, sublinhou o autarca praiense.

 

Segundo Roberto Monteiro, a produção de biodiesel pela Praia Ambiente resulta do aproveitamento da recolha de óleos alimentares usados a funcionar no concelho.

 

“É um projecto que decorre da recolha de óleos e que concretiza a vontade de se encontrarem soluções rentáveis para este tipo de resíduos. Temos vindo a procurar incutir este espírito no Município, ou seja, procurarmos respostas para as situações, respostas essas que, por um lado, solucionam os problemas e, por outro, garantem mais-valias para a Autarquia”, realçou.

 

Neste momento, a Praia Ambiente tem um veículo de recolha de resíduos abastecido até 40 por cento por biodiesel, estando outras nove viaturas em fase de testes.

 

“Até agora, os resultados têm sido muito positivos. Não só o desempenho dos carros não tem sofrido qualquer alteração com a incorporação do biodiesel, como se registou uma redução significativa na emissão de gases em cada um destes veículos. Além disso, o custo de produção de um litro de biodiesel ronda os 60 cêntimos, enquanto um litro de gasóleo, actualmente, custa 1,03 euros, o que demonstra que falamos de uma produção que pode ter impacto nos custos com combustível”, adiantou Roberto Monteiro.

 

A central de produção de biodiesel da Praia Ambiente representa um investimento superior a 85 mil euros, tendo, desde o início do ano, produzido cerca de 4500 litros deste combustível.

 

A infra-estrutura tem capacidade para produzir 100 litros de biodiesel por dia e de processar mais de 300 litros de óleos alimentares usados por semana.

 

A matéria-prima usada na central resulta do sistema de recolha de óleos alimentares usados a funcionar em todo o concelho.

 

Desde Janeiro de 2010, segundo dados revelados pelo presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, a Praia Ambiente já recolheu mais de 16500 litros de óleos alimentares usados.

 

“Cerca de 80 por cento desta quantidade resulta dos estabelecimentos de restauração e das cantinas; 17 por cento é recolhido nos 15 oleões que a Praia Ambiente instalou em todas as freguesias do concelho; e três por cento desta quantidade é recolhida porta-a-porta na cidade. A quantidade de óleo recolhido tem vindo a aumentar, o que espelha o empenho dos praienses em proteger o seu ambiente. Entre o terceiro trimestre de 2009 e o terceiro trimestre deste ano, registou-se um aumento em 60 por cento na recolha. E entre o segundo e o terceiro trimestre deste ano, registou-se um aumento de 20 por cento”, realçou Roberto Monteiro.

 

“Estes dois projectos, que se interligam, estão a obter excelentes resultados, que servem de alento para as medidas de inovação e preservação ambiental que temos vindo a desenvolver e que, perante estes dados, queremos continuar a reforçar”, concluiu o autarca praiense.