Jornal da Praia

PUB

Opinião - Notícias

PERISCÓPIO: Luís Ferreira Machado Drumond - o militar e o etnógrafo que merece ser evocado

PERISCÓPIO: Luís Ferreira Machado Drumond - o militar e o etnógrafo que merece ser evocado

Quinta, 04 Julho, 20131378

Texto/ António Neves Leal

Este brioso militar foi na Base Aérea das Lajes o oficial responsável, ao mais alto nível, pelo serviço geral daquela unidade, onde passou grande parte da sua vida profissional. Faleceu, inesperadamente, a 14 de agosto de 1963, aos 58 anos de idade, em P. Delgada aonde se tinha deslocado em visita aos filhos, aí em gozo de férias.

 

ADMIRÁVEIS TROCAS

ADMIRÁVEIS TROCAS

Quarta, 03 Julho, 2013941

Texto/ Fábio Barbosa

 

Habituámo-nos a pensar na palavra como moeda de troca para todas as ocasiões, a começar pela própria origem do universo.

 

CANTO DO TERESINHA - Galhetas

CANTO DO TERESINHA - Galhetas

Quarta, 03 Julho, 2013800

Foto/ reis-reis.com

 

Galhetas

 

A Comissão Europeia queria proibir o uso de galheteiros nos restaurantes dos países membros e substituí-los por garrafas invioláveis para servir o azeite.

Em menos duma semana, Bruxelas deu o dito por não dito, recuando nessa intenção. Canto do Terezinha, habituado aos nobres objectivos que sustentam as decisões da UE, não acompanha as más-línguas que acusam Bruxelas de subserviência à vontade dos países nórdicos. O verdadeiro motivo é outro: olhando para si própria, a Comissão Europeia reconhece que iam continuar a fazer-lhe falta umas boas galhetas.

 

 

Taurinidade & Tauromaquia

Taurinidade & Tauromaquia

Quarta, 03 Julho, 20131234

Texto/ Arnaldo Ourique

Foto/ António Lima

Vem isto a propósito dum artigo publicado no último volume da Festa da Ilha, junho 2013, intitulado “defender a tauromaquia com inteligência”. Considera o articulista que a utilização de “taurinidade” que a Freguesia da Agualva usou ao elevar a Taurinidade Agualvense a Património Imaterial, para assim a distinguir da Corrida, é pouco inteligente e traduz uma rejeição da Corrida.

 

ONDA CULTURAL PROMOVEU HOMENAGEM

ONDA CULTURAL PROMOVEU HOMENAGEM

Quarta, 03 Julho, 2013712

Texto e Foto/ Silveirinha

Já há alguns anos que a Câmara Municipal da Praia da Vitória, criou uma vez por ano, uma semana dedicada à cultura nas freguesias do seu concelho, onde são enaltecidos acontecimentos dignos de se recordar, factos históricos do lugar em vários campos, ora antigos, ora modernos, em que dão importante colaboração as Juntas de Freguesia e demais instituições, cada uma com trabalhos de muito valor e empenho, tudo para a valorização da sua terra, reportamo-nos hoje à laboriosa e caprichosa freguesia das Fontinhas, orgulhosa também por pertencer ao denominado Ramo Grande.

 

Tertúlia de Radioamadores da Praia da Vitória

ESPAÇO RADIOAMADOR_4 (2)

Quinta, 27 Junho, 20131048

Tertúlia de Radioamadores da Praia da Vitória

 

 

Texto e Foto/ Carlos Tomé Lourenço – CU3AAD

 

Poupar não significa deixar de usar mas sim usar com mais atenção a electricidade no dia-a-dia.

É usar menos e se usar menos electricidade, vai gastar menos dinheiro por mês.
É simples, eficaz e basta um pequeno gesto que já conhece: desligar interruptores.
O ideal é tornar as dicas abaixo em hábitos quotidianos – gestos económicos.
-Habitue-se a desligar todas as luzes cada vez que sai de uma divisão… afinal há algum motivo para a luz do quarto estar acesa se está fora da divisão?

 

Paliativos

O Cantinho do Psicólogo (112): PALIATIVOS

Quarta, 26 Junho, 2013884

Texto e Foto/ A. Pamplona* | a.pamplona@sapo.pt

 

Ainda sobre o que se disse sobre as desgraças que nos batem à porta, nomeadamente em termos de perdas de sonhos e modos de vida, ou até das pessoas que nos estão próximas, e que nos afectam sensivelmente, reforce-se a importância de, após darmos espaço para o lamento, sermos capazes de reparar o estrago, e de tomar medidas para enfrentar a nova realidade. Atingir estes objectivos impõe a necessidade de: (a) manter na vida uma atitude positiva e significativa; (b) ser criativo para despertar a imaginação; e (c) utilizar as capacidades do pensamento para desafiar as suas potencialidades.

 

Manuel, o assobio e a dentuça de Ti Silvestre

Manuel, o assobio e a dentuça de Ti Silvestre

Sexta, 21 Junho, 2013821

Texto e Foto/ Manuel Ferraz Cardoso | ferrazcardoso@sapo.pt

Manuel era sorna, muito pobre, e… resignado. Vivia de acordo com a sua índole, assumindo atitudes e posturas compassivas com o seu querer e com a vontade dos outros. Desta forma criava o seu espaço de comodidade, numa indiferença serena, perante a vida e a labuta, fugindo tanto da realidade da vida como da rudeza do trabalho, aproveitando o vinho e o calor do Sol sentado num canto qualquer onde pudesse saborear os seus silêncios.